Democracia no Mundo

ONU: Rússia deve libertar detidos em protestos por Alexei Navalny

Relatos apontam que 1,4 mil foram presos na última terça (2) em protestos no país; Navalny foi detido em janeiro

Este conteúdo foi publicado originalmente na agência ONU News, da Organização das Nações Unidas

O Escritório de Direitos Humanos das Nações Unidas pediu às autoridades russas que libertem todos os detidos na Rússia por exercerem seu direito à liberdade de reunião e expressão nos protestos das últimas semanas.

Só na terça (2), as autoridades russas detiveram 1,4 mil pessoas, disse a porta-voz do Escritório, Ravina Shamdasani.

ONU: Rússia deve libertar detidos em protestos por Alexei Navalny
Protestos pela libertação de Alexei Navalny em Londres, janeiro de 2021 (Foto: Unsplash/Liza Pooor)

Oposição

Nas últimas semanas, pessoas foram às ruas em toda a Rússia contra a detenção de Alexei Navalny, um político da oposição. Navalny foi preso em janeiro, quando regressou ao país depois de se recuperar de uma tentativa de assassinato por envenenamento.

Segundo a porta-voz do Escritório, o governo russo deve garantir que os protestos ocorram de acordo com o direito internacional dos direitos humanos. “Os detidos na Rússia devem deixar a prisão”, reiterou Shamdasani.

O Escritório também se disse “profundamente consternado” com a condenação de Navalny. Na terça (2), um tribunal de Moscou condenou o político da oposição à prisão por supostamente violar as condições de uma sentença suspensa de 2014 em um caso de peculato.

Prisão domiciliar

A porta-voz lembrou que o Tribunal Europeu dos Direitos Humanos já decidiu, em 2017, por unanimidade, que o caso foi “arbitrário, injusto e manifestamente irracional.”

Agora o juiz converteu a antiga sentença de 3,5 anos para dois anos e oito meses. O tempo de decrécimo se deve ao tempo que Navalny já passou em prisão domiciliar