África

Nigéria já é o maior centro de exportação de madeira ilegal da África, diz entidade

Organização citou exploração indiscriminada de cartéis da China, Coreia do Sul e Líbano em reservas florestais

A Nigéria já é o maior centro de exportação de madeira ilegal da África, disse a organização NHRC (Comunidade de Direitos Humanos da Nigéria) na última quarta (26), em conferência de imprensa.

O porta-voz Taiwo Adeleye citou países como China, Coreia do Sul e Líbano entre os estrangeiros que mais exploram as reservas florestais do país africano de forma “indiscriminada”, conforme registro do diário nigeriano Vanguard.

Denúncias enviadas à entidade mostram que madeireiras ilegais sul-coreanas, chinesas e libanesas invadem e exploram as florestas sem qualquer avaliação de impacto ambiental ou consentimento prévio. “As atividades de cartéis ligados a esses países destroem de 350 mil a 400 mil hectares por ano”, disse o porta-voz.

Nigéria já é o maior centro de exportação de madeira ilegal da África, diz ONG
Reserva florestal de Kwa-Fluss, Nigéria, em junho de 2016 (Foto: Divulgação/Rainforest Rescue)

A organização também diz ter recebido relatórios de povos nativos ameaçados devido ao avanço estrangeiro em suas florestas. “Essas comunidades estão desamparadas e enfrentam uma situação desesperadora”, disse a NHRC.

A maior degradação está nas comunidades dos estados de Ogun, Oyo, Ondo, Ekiti, Kwara, Kogi, Osun, Cross River, Rivers, Bayelsa, Edo e Delta. No estados do norte, os mais afetados são Plateau, Nassarawa e Benue, confirmou o site de notícias The Cable.

Ao conquistar a independência, em 1960, a Nigéria possuía oito parques nacionais e 445 reservas nacionais. Hoje, mais da metade das unidades de conservação ou não está mais sob o apelo legal ou foi destruída.

Desmatamento

Só em 2005, cerca de 11 mil hectares de floresta foram desmatados no país africano. Entre 1990 e 2000, o país havia perdido 406,7 mil hectares – cerca de 35,7% de todo o componente florestal. Desde então, os governos estaduais da Nigéria reivindicaram 96,5 mil quilômetros quadrados de terra como área florestal reservada.

Cerca de 66% está no bioma de savana, enquanto 20% está nas áreas de floresta tropical, ao sul do país. Pelo menos 4% é de pântanos de água doce e manguezais da região do Delta do Níger.

A Constituição da Nigéria proíbe a exportação de madeira bruta ou cerrada – a principal maneira com que os exportadores movem a matéria-prima. A NHRC pediu pela expulsão imediata de todos os estrangeiros envolvidos na exportação ilegal de madeira.