Thai Airways abre restaurante pop-up em Bangkok, na Tailândia

Com refeições em conta, espaço é tática da empresa para recuperar parte da renda perdida com a pandemia
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A companhia aérea Thai Airways abriu no último dia 3 um restaurante pop-up para órfãos da comida servida nas aeronaves da empresa. Instalado na sede da empresa em Bangkok, na Tailândia.

O restaurante, comandado pelo japonês Jun Uenishi, foi uma das formas encontradas pela empresa para recompor parte da receita perdida com a paralisação do tráfego aéreo desde o início da pandemia.

A Thai Airways pediu em maio o equivalente local da recuperação judicial. Nesta segunda (14), o tribunal de falência de Bangkok decide se aprova o plano de reestruturação da empresa.

Thai Airways abre restaurante pop-up em Bangkok, na Tailândia
Assentos de classe executiva no restaurante pop-up da Thai Airways, em Bangkok, na Tailândia (Foto: Divulgação)

Segundo a Reuters, a empresa já vende cerca de dois mil pratos por dia. Agora, planeja expandir os espaços em outras partes da Tailândia.

O público é recebido por comissárias vestidas com o uniforme da empresa e se acomoda em assentos adaptados das classes econômica e executiva.

Entre os pratos servidos nas viagens, há o cozido de carne de porco Bak Kut Tah, típico da Malásia e de Singapura, acompanhado de arroz. Yakisoba de frutos do mar também figura na porção asiática do menu.

Thai Airways abre restaurante pop-up em Bangkok, na Tailândia
Cardápio do restaurante pop-up da Thai Airways na capital tailandesa Bangkok (Foto: Divulgação)

Há opções ocidentais, como penne à carbonara, caesar salad com atum ou salmão defumado e spaghetti à bolonhesa. Quem gosta da cozinha indiana pode pedir o tikka de frango, com arroz basmati e pão naan.

Os pratos custam entre 90 e 120 baht, ou entre R$ 15 e R$ 20.

Também há adereços como hélices, motores e janelas dos aviões, em solo no aeroporto desde o início da pandemia do novo coronavírus. Em cada um, há um QR Code para que o visitante conheça a origem da peça.

Tags: