Américas têm 100 milhões de infectados com Covid-19, e casos sobem com Ômicron

América do Norte notificou 36% a mais de contaminações na última semana. Ômicron já foi encontrada em 19 localidades, segundo a OMS
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Dados divulgados na quinta-feira (23) pela Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) indicam que as Américas já ultrapassaram os 100 milhões de casos registrados de Covid-19. Os números são puxados pela América do Norte, onde o aumento foi de 36% na semana passada. Em partes da América do Sul e da América Central, ao contrário, a tendência é de queda. 

Nos países sul-americanos, houve uma baixa de casos de 10,7%, com queda de 6,3% nas mortes. No entanto, a Bolívia relatou um aumento acentuado em contaminações, assim como Argentina e Equador. Já a América Central teve redução de 10,8% em novas notificações.

No Caribe, as infecções subiram em 16%. Trinidad e Tobago continua somando novos casos. Em Barbados e nas Ilhas Cayman, após um pico, o número de infecções baixou. Segundo a Opas, a variante Ômicron já foi encontrada em 19 países e territórios americanos.

Moradores de Brasília passam por teste rápido de diagnóstico para o coronavírus (Foto: Renato Alves/Agência Brasília)

Medidas de contenção

A Opas recomenda vacinação e medidas de saúde pública para reduzir o risco de exposição ao coronavírus e interromper a transmissão. Isso inclui usar máscaras, manter distanciamento, lavar as mãos com frequência e evitar espaços lotados, especialmente em ambientes fechados.

Segundo a diretora da Opas, Carissa Etienne, as medidas são eficazes contra todas as variantes, incluindo o Ômicron.  Por isso, ela afirma que os países devem manter as boas práticas para limitar a circulação do vírus e ajustar de acordo com os riscos de transmissão locais.

De acordo com a Opas, mais de 868 milhões de doses de vacinas contra Covid-19 foram administradas na América Latina e no Caribe.  Até o momento, 57,3% da população completou a imunização, e maioria dos países da região deve alcançar ou ultrapassar a meta da OMS de vacinar 40% de suas populações até o final de 2021. No entanto, Haiti, Jamaica, São Vicente e Granadinas, Guatemala, Santa Lúcia, e Granada podem não atingir a marca.

Até o momento, mais de 75 milhões de doses de vacinas foram entregues a 33 países da região por meio do mecanismo Covax, incluindo 22 milhões de doses doadas. O Fundo Rotativo da agência cuidou da logística e está trabalhando com os países para comprar vacinas diretamente dos fabricantes.

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News

Tags: