Coronavírus

Quatro variantes da Covid-19 circulam em 11 países da América Latina, diz Opas

Continente americano registrou 967 mil novos casos de Covid-19 e 22 mil mortes na última semana.

Um balanço divulgado pela Opas (Organização Pan-Americana da Saúde) mostra que o continente americano registrou 967 mil novos casos de Covid-19 e 22 mil mortes na última semana. A América Latina é o maior foco de preocupação, considerando que apenas 15% da população da região foi totalmente vacinada.  

Onze países da América Latina e do Caribe já detectaram todas as quatro variantes da Covid-19: Alpha, Beta, Gamma e Delta, de acordo com a Rede Regional de Vigilância Genômica da Opas. No continente inteiro, Estados Unidos e Brasil continuam sendo os dois países com mais casos e óbitos.  

A diretora-geral da Opas, Carissa Etienne, destaca que, em nações como Honduras e Haiti, o índice de vacinação integral é de apenas 1%. Segundo ela, a falta de imunização está “criando uma divisão epidemiológica”, com a região “cada vez mais dividida pelo acesso às vacinas”.  

A chefe da Opas explica que, nos países onde existem estoques, as infecções estão em declínio, mas nos locais onde a cobertura ainda é baixa os novos casos de Covid-19 continuam altos. 

Profissional da saúde administra vacina à Covid-19 em hospital de Cundinamarca, Colômbia, fevereiro de 2021 (Foto: PAHO/Karen González)

Alguns dos países que estão com a vacinação avançada e vem registrando queda nos casos de coronavírus são Uruguai, Chile, Argentina, Canadá e na maior parte dos Estados Unidos. Mas, segundo a Opas, os Estados norte-americanos que têm um aumento de pacientes são aqueles com as menores taxas de vacinação.  

Os casos e os óbitos estão em alta em Cuba, onde várias províncias têm reportado um grande aumento de novas infecções. A diretora-geral da Opas destaca que os vírus têm apenas um objetivo: se multiplicarem. E lembra ainda que as variantes se espalham com mais facilidade, e a única maneira de parar o ciclo é aumentando as taxas de vacinação.  

Segundo ela, medidas como distanciamento social, uso de máscaras, evitar aglomerações e testar a população continuam sendo importantes.  

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News