Boris Johnson pode renunciar para cuidar de saúde frágil após Covid-19

Informação é do jornal britânico "The Times of London"; premiê teve a doença em abril e carrega sequelas
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, pode renunciar em seis meses para cuidar de sua saúde, fragilizada após caso grave do novo coronavírus. A informação, desta terça (25), é da coluna Diary, do jornal “The Times of London“.

A fonte citada pelo tradicional diário britânico afirma ter confirmado o boato com o sogro de Dominic Cummings, assessor mais próximo de Johnson. O interlocutor teria definido a situação do premiê como a de um “cavalo que voltou às corridas cedo demais”.

Em abril, Johnson desenvolveu a forma grave da Covid-19. Passou cinco dias na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) de um hospital público em Londres, no Reino Unido.

Boris Johnson pode renunciar para cuidar de saúde frágil após Covid-19
O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, em encontro da ONU em 2016 (Foto: UN Photo)

Em entrevista ao tabloide “The Sun”, em maio, Johnson relatou que seu gabinete já tinha “arranjos” preparados, caso morresse. “Era uma estratégia para lidar com um cenário tipo ‘morte de Stálin'”, disse. Em 1953, o ditador soviético morreu de repente, após um acidente vascular cerebral.

“Eu não estava em ótima forma e sabia que havia planos de contingência”, relatou. Desde então, grassam os rumores de que a saúde do premiê se deteriorou desde a doença.

O gabinete de Johnson, em Downing Street, nega as alegações.

Tags: