Reino Unido confirma acidente entre navio de guerra britânico e submarino russo

Informação só foi divulgada nesta semana, após uma equipe de televisão revelar que tem imagens do incidente
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Um navio da Marinha Real britânica colidiu com um submarino russo “caçador-assassino” (submarino nuclear armado com mísseis e torpedos de grande potência) durante patrulhamento nas águas do Atlântico Norte. O incidente ocorreu no final de 2020 e só veio à tona na última quinta-feira (6), através um comunicado oficial do Ministério da Defesa do Reino Unido, segundo a Radio Free Europe.

A fragata HMS Northumberland estava rastreando o submarino russo quando o equipamento de sonar – composto por um longo cabo com hidrofones que segue debaixo d’água atrás de um navio – bateu no submarino. O atrito foi registrado por uma equipe de filmagem que trabalhava na produção de um documentário do Canal 5, ‘Warship: Life at Sea’ (“Navio de guerra: Vida no Mar”, sem tradução para o português) que vai ao ar no Reino Unido.

Fragata HMS Northumberland no Oceano Índico durante operações de Contrapirataria (Foto: Defence Images/Flickr)

O episódio até então não havia sido comentado pelo Ministério da Defesa. A confirmação das autoridades veio após a divulgação do material coletado pelos documentaristas. Há uma cena em que a equipe da Marinha Real a bordo percebe que algo estranho aconteceu e a tripulação reage gritando: “O que diabos foi isso?”

“No final de 2020, um submarino russo sendo rastreado pelo HMS Northumberland entrou em contato com seu sonar rebocado”, disse o órgão governamental em uma nota divulgada à imprensa nesta quinta. “A Marinha Real rastreia regularmente navios e submarinos estrangeiros a fim de garantir a defesa do Reino Unido”, acrescentou o documento.

Uma fonte do Ministério da Defesa disse à rede britânica BBC que “era improvável que o submarino colidisse deliberadamente com o cabo do sonar”. Não há informações se o submarino russo sofreu algum dano.

Já o navio britânico precisou retornar ao porto na Escócia para substituir o equipamento avariado.

Tags: