Mundo

ONU: Oceanos são cruciais para a economia e a cultura dos povos, diz Guterres

Dia Mundial dos Oceanos servem como alerta para a conservação e os danos da sobrepesca em todo o mundo

Este conteúdo foi publicado originalmente no portal ONU News, da Organização das Nações Unidas

A humanidade realiza um ataque aos oceanos, mares e recursos marinhos, alertou o secretário-geral da ONU, António Guterres, em sua mensagem para marcar o Dia Mundial dos Oceanos, nesta terça (8).

O chefe da ONU lembra que a segunda Avaliação Mundial do Oceano confirmou os benefícios dos mares para a humanidade, e como eles estão sendo minados pelas ações dos próprios cidadãos.

ONU: Oceanos são cruciais para a economia e a cultura dos povos, diz Guterres
Região oceânica da Micronésia, fevereiro de 2019 (Foto: Divulgação/Unsplash/ Marek Okon)

Guterres citou a poluição plástica e a sobrepesca, que causam uma perda de quase US$ 90 bilhões. A atividade irregular ainda aumenta a vulnerabilidade das mulheres, que são vitais para a sobrevivência de pequenos negócios pesqueiros.

Uma outra preocupação da ONU são emissões de dióxido de carbono que aquecem os oceanos e os níveis de acidificação. Esses fenômenos destroem a biodiversidade e elevam o nível do mar, o que ameaça as áreas costeiras que são habitadas.

Maioria

Em 2021, o tema “Oceano: Vida e Subsistências” marca a importância dos oceanos para a vida cultural e a sobrevivência econômica de comunidades em todo o mundo.

Mais de 3 bilhões de pessoas dependem do oceano para sobreviver. A grande maioria está em países em desenvolvimento.

Para Guterres, é preciso se recuperar da Covid-19 ao mesmo tempo em que se termina o que ele chama de uma “guerra contra a natureza”.

A ONU continua empenhada em cooperar para conter o aumento da temperatura em 1.5º C, através dos compromissos assumidos pelos países no Acordo de Paris, em 2015.