Europa

Polícia local impediu três ataques terroristas na pandemia, diz Reino Unido

Mais de 180 suspeitos foram presos em 2020; polícia alerta que pandemia não desacelerou planos de extremistas

A polícia contraterrorismo do Reino Unido anunciou nesta quinta (4) que impediu três ataques terroristas ao país desde o início da pandemia. Desde março de 2017, foram 28 atos terroristas evitados pelas forças de segurança.

Em paralelo, 185 suspeitos foram presos por envolvimento em atos de violência extremista desde o início de 2020. O número representa uma queda de 34% – o índice mais baixo em nove anos.

Foram mais de 800 investigações ao longo do último ano, segundo o coordenador nacional de combate ao terrorismo da Grã-Bretanha, Dean Haydon. Os números, afirma, servem de alerta.

Polícia britânica impediu três ataques terroristas na pandemia, diz Londres
Policial do Reino Unido em evento da Otan, Londres, setembro de 2014 (Foto: Divulgação/Alex Knott)

“Enquanto nos concentramos em combater a Covid-19, os terroristas não pararam de planejar ataques e radicalizar pessoas online”, alertou o especialista ao tabloide britânico “Daily Mail”.

A Unidade de Referência Contraterrorismo do Reino Unido apontou um aumento de 7% no conteúdo terrorista online em dezembro de 2020. O principal objetivo é recrutar crianças e adolescentes vulneráveis na internet.

“É uma tendência preocupante”, disse Haydon. Segundo ele, o número de prisões de jovens na faixa etária dos 18 anos por terrorismo cresceu de 12 em 2019 para 19 no último ano. O índice representa 10% de todas as prisões do último ano.

Segundo Haydon, as rígidas restrições impostas pelo governo para barrar a Covid-19 beneficiam os grupos terroristas. “Há mais oportunidade para atuarem”, relata, ao pedir que todos “permaneçam vigilantes” e denunciem em caso de suspeita.

No Brasil

Casos mostram que o país é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino. Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos. Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.