ONU: Em Guiné-Bissau, liderança feminina marca pontos contra pandemia

Ex-ministra de Guiné-Bissau, Magda Robalo, fala sobre o manejo local da Covid-19 em série sobre liderança feminina
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

Este conteúdo foi publicado originalmente pela agência ONU News, da Organização das Nações Unidas

O Dia Internacional da Mulher, 8 de Março é comemorado, este ano, num contexto de luta contra a Covid-19. A doença já matou mais de 2,5 milhões de pessoas em todo o mundo.  

Na Guiné-Bissau, o número de casos é de 3.301. Do total, 591 estão ativos e 49 mortos. Os esforços da luta contra a pandemia na nação africana são liderados pela epidemiologista, Magda Nely Robalo Silva. 

ONU: Liderança feminina marca pontos no combate à pandemia em Guiné-Bissau
Imunização contra a cólera em Guiné Bissau, 2019 (Foto: Ocha/Saviano Abreu)

A alta comissária para a Covid-19 falou à ONU News sobre a importância da liderança feminina na resposta ao coronavírus. “À semelhança do resto do mundo, a luta contra a doença não tem sido fácil no país”, relatou.

Ela destacou a redução da transmissão para que o fim do toque de recolher, que levou a reabrir escolas e comércio. “Com isso, conseguimos chegar a dezembro com uma taxa de transmissão muito baixa, levando a uma vida normal”, sublinhou.

Testagem

Magda Robalo atribuiu o mérito das realizações que incluem também a mobilização de vacinas a toda “equipe esforçada, dedicada e competente”. A força de trabalho inclui ainda o aumento da capacidade de testagem e o fornecimento de oxigênio.

“Sendo um país com muitos desafios, as dificuldades são maiores e que a meta agora é o controlar a segunda vaga”, disse. As autoridades na Guiné-Bissau decretaram estado de calamidade até 25 de março próximo.

Para marcar este Dia Internacional da Mulher, a ONU News realiza um especial sobre a liderança feminina e o papel das mulheres na linha de frente do combate à Covid-19.

Além de Magda Robalo, o especial traz profissionais de saúde, autoridades e líderes em Moçambique, Angola, Brasil, Timor-Leste, Portugal e outras nações de língua portuguesa.

Tags: