África

Setor privado é crucial para ajudar Guiné-Bissau a se recuperar da pandemia

Retomada econômica requer engajamento do governo na promoção de políticas no país africano

Um novo estudo realizado pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento) analisa o impacto da Covid-19 no ambiente de negócios. A parceria com governo teve como foco os efeitos da pandemia em micro, médias e pequenas empresas sob o título “Construindo o futuro melhor para as empresas na Guiné-Bissau”.

Para a análise da situação do setor privado, antes e depois da pandemia, foram recolhidos dados com o apoio do Ministério do Plano e do Centro de Formalização de Empresas. Segundo o estudo, a degradação da situação é bastante visível, e as microempresas são as mais penalizadas. 

Na atual fase de recuperação da economia, os promotores recomendam esforços adicionais e concertados para que as empresas possam contribuir para o desenvolvimento econômico do país.

Jovens retornam da plantação de cana de açúcar na ilha de Soga, Guiné-Bissau, em abril de 2019 (Foto: Divulgação/Carsten ten Brink)

Impulso

Falando no lançamento da pesquisa, o representante adjunto do Programa da ONU, José Levy, declarou que os novos dados melhoram a preparação para apoiar a recuperação pós-pandemia no país da África Ocidental.

“O Pnud já utiliza as conclusões deste estudo para informar as nossas intervenções a estar melhor posicionados para apoiar a Guiné-Bissau a se recuperar da pandemia no curto prazo, e simultaneamente explorar oportunidades de longo prazo para avançar melhor e contribuir para fortalecer o desenvolvimento do setor privado com ênfase na inclusão de mulheres e de jovens no desenvolvimento econômico”.

Segundo o vice-chefe do Pnud na Guiné-Bissau, a ideia é “estimular o crescimento econômico inclusivo e sustentável, beneficiar a integração comercial e capitalizar o enorme potencial turístico do país”. Outra meta é contribuir para a construção de um futuro mais sustentável e resiliente, proteger a biodiversidade e os ecossistemas.

José Levy reiterou o compromisso do Pnud em apoiar a Guiné-Bissau no desenvolvimento do setor privado e na criação e viabilização de um ambiente de negócios que possa gerar mais e melhores empregos. “A Covid-19 e o seu processo de recuperação destacam as lacunas e necessidades apresentando uma oportunidade para construir um ambiente mais resiliente e propicio que desbloqueie o potencial das capacidades inovadoras e produtivas na Guiné-Bissau”.

Levy reiterou também o empenho do Pnud e outros parceiros, na mitigação dos impactos socioeconômicos pós-Covid-19.

A agência quer ajudar a identificar lacunas e a mobilizar os recursos necessários para que a Guiné-Bissau possa “conhecer um progresso econômico participativo, inclusivo, sustentável e transformador”.

O evento reuniu representantes de diferentes ramos governamentais, sociedade civil, parceiros de desenvolvimento e atores do setor privado. 

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News