Na América Central, seis em cada dez optaram por adiar migração após pandemia

Entre os emigrados, 20% planeja voltar para casa por falta de emprego ou redução da renda no exterior
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Seis em cada dez mexicanos e centro-americanos adiaram seus planos de migração de seus países por causa da pandemia do novo coronavírus, segundo pesquisa da OIM (Organização Internacional de Migrações). Os resultados foram divulgados na última sexta (21).

Mesmo quem conseguiu deixar o país dá sinais de insatisfação. Cerca de 20% dos emigrados planeja voltar para casa assim que a crise econômica arrefecer ou as medidas de isolamento social forem afrouxadas.

Na América Central, seis em cada dez optaram por adiar migração após pandemia
Cenas de Nejapa, cidade na região central de El Salvador e no entorno da capital, San Salvador (Foto: Wikimedia Commons)

O principal motivo é a alta do desemprego, mais forte entre os estrangeiros. Metade das pessoas que deixaram o México e a América Central em busca de uma vida melhor perderam seus empregos desde o início da pandemia.

Um terço desses migrantes relatou não conseguir trabalho de nenhum tipo no país que os acolheu.

Quem conseguiu manter seu trabalho também sofreu impacto na renda. Entre os entrevistados, 48% teve diminuição na receita mensal e 40% sofreu redução nas horas de trabalho ou no salário.

Para realizar a pesquisa, foram entrevistados 1.660 pessoas da América Central e do México em junho. Participaram pessoas que já fizeram a migração e quem tem interesse, mas ainda não deixou seu país.

Tags: