Ásia e Pacífico

Coreia do Sul promete retomar turismo no Norte após pandemia de Covid-19

Maior empecilho ao projeto é convencer a Coreia do Norte, que promete reformar a estrutura no monte Kumgang sem auxílio do vizinho

Lee In-young, ministro sul-coreano para a unificação das Coreias, promete retomar as operações turísticas no Monte Kumgang, localizado na região leste da vizinha e rival Coreia do Norte

O projeto seria retomado após a pandemia de Covid-19. Além do governo de Seul, duas empresas coreanas estão envolvidas: a Hyundai e Ananti. A empresa automobilística chegou a organizar viagens ao monte no final dos anos 1990, enquanto a hoteleira Ananti geriu um resort na região. 

Coreia do Sul promete retomar turismo no Norte após pandemia de Covid-19
Kim Jong-un em visita ao Monte Kumgang, em outubro de 2019 (Foto: Divulgação/KCMA)

Os dois projetos foram interrompidos quando a tensão aumentou entre os países vizinhos. Em 2008, uma turista sul-coreana foi morta a tiros por soldados da Coreia do Norte quando fazia caminhada em uma área cujo acesso era proibido. 

A colaboração entre as duas Coreias esteve próxima de ser retomada em 2018, em visita do presidente sul-coreano Moon-Jae-in a Pyongyang. Foi debatida até a construção de um complexo industrial em Kaesong, a sudoeste de Pyongyang. No ano seguinte, porém, as relações azedaram, e os planos foram adiados. 

Embora interessadas, as duas empresas dizem que só retomarão qualquer investimento se Seul garantir a viabilidade do projeto. Falou-se até em sediar no resort, em parceria Norte-Sul, o Campeonato Mundial Amador de Golfe de 2025. 

Viabilidade difícil 

A parte mais difícil do projeto é convencer Kim Jong-un, o líder da Coreia do Norte. Ele já manifestou sua intenção de reformular o resort, mas sem qualquer participação de Seul.

“As estruturas em nosso país devem ter o nosso estilo rico em temas nacionais. Devem ser criadas para atender nosso sentimento e nossa estética”, disse ele em outubro de 2019, segundo a agência estatal norte-coreana KCNA. Ele prometeu “remover toda estrutura com visual desagradável do Sul”. 

Kim afirmou, ainda, que o monte Kumgang pertence somente à Coreia do Norte e afastou a ideia de que a região simbolize a aproximação entre os dois países. 

“O Monte Kumgang é nossa terra, conquistada ao custo de nosso sangue. Qualquer penhasco ou árvore ali localizados remetem à nossa soberania”, afirmou o norte-coreano à época.