Ásia e Pacífico

Tempo da China como a fábrica do mundo está no fim, diz dono da Foxconn

Montadora do iPhone, empresa taiwanesa tem deslocado partes da produção para outros países, como a Índia

A guerra comercial entre norte-americanos e chineses deve marcar o “fim do tempo da China como a fábrica do mundo”. A opinião é de Young Liu, presidente do grupo Foxconn, um principais fornecedores da Apple.

O empresário revelou que já tem deslocado parte da produção para outros países da Ásia, segundo a Bloomberg. Cerca de um terço do que o grupo produz já vem de locais como a Índia e o sudeste asiático.

A meta é fugir das tarifas extras impostas pelo governo norte-americano à manufatura chinesa. A empresa, de origem taiwanesa, não descarta produzir iPhones em outros países, caso necessário.

Tempo da China como a fábrica do mundo está no fim, diz dono da Foxconn
Prédio da Foxconn, que monta o iPhone, na China, em imagem de 2010 (Foto Wikimedia Commons)

A Foxconn informou que as declarações de Liu tratam-se apenas de tendências macroeconômicas e de mercado, e não de anúncios formais de mudanças na produção.

A empresa enfrenta na China concorrência cada vez mais acirrada. Neste ano, a chinesa Luxshare Precision Industry Co. tornou-se a segunda a produzir, do início ao fim, os telefones da Apple.

Por enquanto, porém, a Luxshare produzirá equipamentos mais simples para a marca norte-americana.

A avaliação de Liu foi feita na última quinta (13), após apresentação dos resultados trimestrais da empresa ao mercado.

Após um primeiro trimestre ruim, puxado pela pandemia do novo coronavírus, a empresa apresentou receita de US$ 778 milhões.