Coronavírus

Países pedem abertura gradual de sede da ONU em Nova York

Alemanha e Rússia pedem volta de reuniões presenciais após diminuição no número de casos de coronavírus em NY

A Alemanha e a Rússia estão pedindo à ONU para que reabra a sede em Nova York, nos Estados Unidos. A solicitação vem na sequência do menor número de casos do novo coronavírus na cidade norte-americana mais atingida pela pandemia. As informações são da Bloomberg.

Os alemães, que ocuparão a presidência do Conselho de Segurança da ONU em julho, querem discutir um possível retorno a reuniões presenciais. A ideia seria diminuir do número de funcionários e seguir as diretrizes de distanciamento social.

O pedido foi feito pelo embaixador alemão Christoph Heusgen por meio de uma carta enviada nesta segunda (18) ao secretário-geral da ONU, António Guterres. O português até agora tem adotado cautela em relação à abertura do edifício-sede, em Nova York.

Segundo o embaixador, vários países compartilham o desejo da Alemanha de retomar reuniões presenciais. Heusgen disse ainda concordar com a decisão de manter o prédio fechado até o fim de junho e esperar a situação em Nova York melhore até lá.

Países pedem abertura gradual de sede da ONU em Nova York
Sede da ONU em Nova York, Estados Unidos (Foto: Manuel Elias/UN Photo)

Nesta quinta (22), a cidade norte-americana já havia registrado 192 mil casos e 16 mil mortes. Os dados são da prefeitura de Nova York.

Dois dias depois da carta alemã, o embaixador russo Vassily Nebenzia insistiu que a ONU realizasse eleições para o Conselho de Segurança e a Assembleia-Geral em junho.

“Seria uma solução muito melhor do que inventar esquemas alternativos complicados e pouco ideais”, afirmou Nebenzia, segundo a Bloomberg.

O Conselho de Segurança da ONU vem realizando reuniões virtuais desde que a quarentena foi imposta em Nova York, em março. Guterres e outros funcionários teriam continuado a frequentar o edifício-sede.