Democracia no Mundo

Rússia anuncia bloqueio, e sites ligados a empresário exilado encerram as atividades

Alegando riscos para os funcionários, a Open Media e a MBKh Media encerraram as atividades

Após a Rússia bloquear o acesso ao site de notícias do opositor Mikhail Khodorkovsky, conhecido por fazer duras críticas ao Kremlin, dois veículos associados a ele anunciaram, nesta quinta-feira (5), o encerramento de suas atividades. As informações são do site noticioso independente The Moscow Times.

A Open Media e a MBKh Media alegam não terem sido notificadas da intenção de bloquear seus sites pelo Roskomnadzor, órgão regulador de internet e dos meios de comunicação russos. Depois, porém, ambos declararam que encerrariam os trabalhos devido à decisão.

“Os riscos para os funcionários do projeto são muito altos”, disse a Open Media em uma postagem nas redes sociais.

Mikhail Khorkovsky na primeira coletiva de imprensa após sua soltura, em 2013 (Foto: Mitya Aleshkovskiy/Wikimedia Commons)

“Desta vez, os riscos são muito grandes. Não apenas para jornalistas que trabalharam no recurso, mas também para qualquer pessoa que gostou de nosso conteúdo e decidiu compartilhá-lo com outras pessoas”, disse a MBKh Media em um post semelhante.

A censura teve origem em uma ordem dada pelo Ministério Público do país, segundo informou um registro federal de sites bloqueados. O órgão estatal alega ter fundamentado a decisão com base em uma lei que permite o bloqueio de sites por “incitação ao extremismo e participação em comícios em massa não autorizados”.

O registro também mostrou que o grupo de defesa dos direitos humanos e apoio jurídico Pravozashchita Otkrytki foi igualmente bloqueado pelo Roskomnadzor. A advogada da entidade, Anastasia Burakova, tuitou na noite de quarta-feira que o projeto foi encerrado.

“Depois que todas as organizações do (opositor Alexei) Navalny foram declaradas ‘extremistas’, as autoridades também bloquearam a MBKh Media, a Open Media e a organização de apoio jurídico”, manifestou a publicação.

Censura crescente

Todas as entidades repreendidas são financiadas pelo magnata russo Mikhail Khodorkovsky, preso por uma década por desafiar Vladimir Putin. Ao obter liberdade após o período de cárcere por acusações de fraude tidas como politicamente motivadas, ele mudou-se para Londres, onde vive exilado.

Khodorkovsky criou a Open Media e a MBKh Media em 2017, depois que o Kremlin incluiu na lista de “organizações indesejáveis” a ONG pró-democracia Open Russia, proibindo suas atividades no país.

O episódio mais recente ocorre dias após o Roskomnadzor ter bloqueado 49 sites pertencentes ou vinculados a outro proeminente crítico do governo russo, Alexei Navalny.