Na Rússia, parada militar ocorre uma semana antes de referendo sobre Putin

Consulta prevê que o presidente russo permaneça no poder até 2036, entre outras mudanças constitucionais
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A tradicional parada em homenagem à vitória dos soviéticos na II Guerra, em 1945, foi adiada neste ano do dia 9 de maio em função da pandemia do novo coronavírus. Mas ela acontecerá, graças à insistência do presidente Vladimir Putin, informa a AP.

Mesmo com o número de casos de Covid-19 em alta no país, o apelo ao patriotismo russo serve ao presidente. A parada, que acontecerá nesta quarta (24), relembra à população questões relacionadas a poderio militar e mobilização nacional.

O país está nos últimos dias de uma campanha informal para um referendo que pode mudar a Constituição. Marcada para entre os dias 25 de junho e 1 de julho, a consulta decidirá, entre outras tópicos, se Putin pode concorrer à Presidência novamente. Se o mandatário tiver sucesso, poderá se manter no poder até 2036.

Na Rússia, parada militar ocorre uma semana antes de referendo sobre Putin
O presidente russo, Vladimir Putin, durante visita ao Brasil em novembro de 2019 (Foto: Embaixada da Rússia no Brasil)

No último domingo (21), Putin afirmou em entrevista que concorrerá a um novo mandato caso o dispositivo constitucional seja aprovado. No formato atual, o atual presidente não poderia participar de uma nova disputa. A informação é da Reuters.

Patriotismo e popularidade

Pela primeira vez em quase 20 anos, a popularidade de Putin, no poder desde 1999, caiu para abaixo de 60%. De acordo com o instituto de pesquisa Levada, o maior do país, em abril o índice bateu inéditos 59%.

O 24 de junho não foi escolhido de forma arbitrária. Nesta data, há 75 anos, marchavam pela primeira vez pela Praça Vermelha os soldados do Exército russo responsáveis pela campanha contra Hitler.

Na Rússia, não se trata de um conflito qualquer: a vitória contra os nazistas é chamada de Grande Guerra Patriótica.

A consulta sobre as mudanças constitucionais aconteceria em abril, mas foi adiada como medida contra o novo coronavírus.

Tags: