Em Belarus, candidato oposicionista é preso a dois meses da eleição

Pleito ocorre em agosto, marcado por endurecimento contra oposição a Alexander Lukashenko, no poder desde 1994
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Em Belarus, país centro-europeu de forte influência russa, o principal candidato de oposição à presidência, Viktor Barbaryko, foi preso nesta sexta (19). A informação é da BBC.

A acusação que pesa sobre Barbaryko, de 56 anos e egresso do setor bancário, é de crime financeiro. Seu filho, Eduard, de 30 anos, também foi preso por suposta evasão fiscal.

A prisão teria ocorrido porque o candidato seria “o organizador e líder de atividades ilegais e tentou influenciar depoimentos de testemunhas”, afirmou Ivan Tertel, líder do Comitê de Controle do Estado, segundo a revista financeira Barron’s.

Candidato opositor à presidência de Belarus é preso a dois meses da eleição
O presidente de Belarus, Alexander Lukashenko, no poder desde 1994 (Foto: Wikimedia Commons)

De acordo com o site da campanha, os dois estavam a caminho da autoridade eleitoral, quando foram interceptados por agentes de segurança. A partir dali, pararam de atender os celulares. Os advogados de Barbaryko e seu filho também não tiveram acesso a seus clientes, afirmou a BBC.

Houve manifestação contra a prisão de opositores ao governo na capital, Minsk. Algumas centenas de pessoas participaram.

O papel da Rússia

Barbaryko foi CEO da Belgazprombank, subsidiária bielorussa da gigante russa do setor de gás Gazprom. O governo russo já firmou que não vai se envolver na questão, segundo a agência de notícias local Tass.

“Consideramos [as prisões] um assunto interno de Belarus e, claro, não temos intenção de interferir em assuntos bielo-russos de nenhuma forma”, afirmou o porta-voz do Kremlin, Dmitry Peskov, em entrevista coletiva nesta sexta.

Peskov disse, porém, que assuntos relacionados a empresas russas, “especialmente nossos gigantes econômicos, estão sempre sob proteção do Estado russo.” Existem alegações de que Barbaryko seria o candidato favorecido por Moscou.

Outro político oposicionista, Mikola Statkevich, também foi preso nos últimos dias. Na avaliação da Barron’s, o governo bielorusso tem “fechado o cerco” sobre a oposição.

Atual mandatário

Belarus é governada desde 1994 pelo mesmo presidente: Aleksander Lukashenko, que desta vez concorre a seu sexto mandato. O país, que ganhou a alcunha de “a última ditadura da Europa”, tem eleições marcadas para 9 de agosto.

Organizações como a Human Rights Watch apontam que os pleitos não são legítimos, uma vez que as autoridades locais não respeitam regras básicas democráticas.

Para Ursula von der Leyen, presidente da Comissão Europeia, as detenções são “arbitrárias”. “O estado de Direito deve ser respeitado. O povo de Belarus está pedindo eleições democráticas”, disse von der Leyen a repórteres.

Tags: