Grécia adota ‘expulsões coletivas’ de migrantes vindos da Turquia

Entidade da ONU para refugiados pediu ao governo grego respeito às normas internacionais de acolhimento
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A Grécia tem expulsado migrantes que chegam no país por via marítima e terrestre vindas da Turquia, denunciou nesta sexta (12) a OIM (Organização Mundial para Migrações). 

As “expulsões coletivas” vêm na esteira da afirmação do presidente turco Recep Tayyip Erdogan, em fevereiro deste ano, que liberaria a passagem dos refugiados.

Desde o início de março, cerca de três mil pessoas chegaram à fronteira entre os países. O número após o início da pandemia, mas as expulsões têm crescido, segundo a UNHCR (Agência das Nações Unidas para Refugiados).

Grécia adota ‘expulsões coletivas’ de migrantes vindos da Turquia
A vida no campo de refugiados de Kara Tepe, em Lesbos, na Grécia (Foto UN Photo)

As remoções forçadas seriam uma violação das “obrigações internacionais da Grécia e podem expor as pessoas a graves perigos”, afirmou nesta sexta o porta-voz da UNHCR Babar Baloch.

Segundo Baloch, o país tem o direito de controlar suas fronteiras, mas deve respeitar os direitos humanos internacionais e diretrizes de proteção dos refugiados.

“Os solicitantes de asilo devem ter acesso aos procedimentos normais e proteção contra deportação forçada”, afirmou. 

O porta-voz lembrou que a pandemia piorou a situação das famílias que deixaram seus países. Por isso, quem “é a forçado a fugir de conflitos e perseguição não podem ter negadas a chance de segurança e proteção nessas circunstâncias.”

A UNHCR recomendou que sejam implementados controles de quarentena de duas semanas e avaliações de saúde aos migrantes, para evitar contágio pelo novo coronavírus.

Tags: