EUA prometem sanções caso a Turquia compre sistema de mísseis da Rússia

Presidente turco declarou na semana passada que está próximo de um aperto de mãos com Putin para fechar o negócio
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O Senado dos EUA fez um alerta à Turquia para que encerre as negociações para a compra de um sistema russo antimísseis. Do contrário, o país, que é aliado da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), irá sofrer novas sanções de Washington, informou o jornal The Straits Times.

A sinalização chegou um dia antes de um encontro entre os presidentes Recep Tayyip Erdogan, da Turquia, e Vladimir Putin, da Rússia, que ocorre nesta quarta-feira (29), em Sochi.

Os países têm negociado a transferência de tecnologia e a compra de um segundo sistema antiaéreo S-400 por parte dos turcos. De acordo com Alexander Mikheyev, chefe da exportadora estatal russa de armas Rosoboronexport, a negociação estaria em fase final.

EUA promete sanções se Turquia negociar a compra de sistema de mísseis da Rússia
Putin já havia vendido um sistema de mísseis terra-ar S-400 aErdogan, o que causou problemas com os EUA (Foto: WikiCommons/Kremlin)

Erdogan já havia declarado em uma entrevista à emissora norte-americana CBS News, na semana passada, que pretende fechar o negócio.

A declaração do presidente turco repercutiu negativamente no Senado dos EUA. Tanto que o democrata Bob Menendez, presidente da Comissão de Relações Exteriores, respondeu alertando que as sanções eram impostas por lei contra “qualquer entidade que faça negócios significativos com os setores militares ou de inteligência russos”.

No Twitter, o político escreveu que “qualquer nova compra pela Turquia deve significar novas sanções”.

Em dezembro de 2020, os EUA aplicaram sanções à Turquia após o país comprar um sistema de mísseis terra-ar S-400 da Rússia. À época, Washington já havia removido os turcos da parceria F-35, que reúne outros países interessados em jatos da Lockheed Martin.

As penalidades incluíram a proibição de todas as licenças de exportação dos EUA e o congelamento de ativos ao SSB – órgão responsável por todas as compras, projetos e aquisições da Turquia, desde as Forças Armadas até serviços de inteligência.

A Turquia se recusou a descartar a primeira bateria S-400 que adquiriu em 2019.

Tags: