Campanha contra Covid-19 escala artistas africanos para vídeos e anúncios

Vídeos, músicas e anúncios são criados em línguas do continente africano para levar informação confiável à população
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Os maiores artistas do continente africano se uniram à ONU e UNESCO para combater a falta de informação e salvar vidas durante a pandemia do novo coronavírus.

A campanha lançada pela ONU no dia 1º de abril reúne conteúdos criativos que abordam a necessidade de informações abertas e culturalmente relevantes sobre o Covid-19. Há materiais nas diversas línguas faladas na África.

Eles estão criando músicas, vídeos e anúncios de serviço público para a campanha #DontGoViral — “não se torne viral”, em português. Em apenas uma semana, esses artistas já alcançaram mais de 90 milhões de pessoas.

“O sucesso da campanha destaca a resiliência e a criatividade de mulheres e homens no continente africano ao aproveitar o poder da diversidade cultural para combater efetivamente a ‘infodemia’, que está se revelando tão viral quanto a própria pandemia”, afirmou a diretora-geral da Unesco, Audrey Azoulay.

A infodemia pode ser definida como o excesso de informação, verdadeira ou não sobre um assunto específico. Com tantos sites e redes sociais, as pessoas têm maior dificuldade de encontrar fontes e orientações confiáveis.

Artistas africanos participam de campanha da Unesco para combater desinformação (Foto: Ollivier Girard)

Refugiados

O vídeoclip da música “Proteja sua Vida” foi criado para a campanha. O material foi filmado no estúdio do rapper Danny Lee e em um hospital no Níger. Nele, aparecem também refugiados que trabalham na produção de sabão e alvejante.

Os produtos são distribuídos em comunidades vulneráveis do Níger. O país abriga cerca de 500 mil pessoas que tiveram que deixar suas casas, entre eles milhares de nigerianos.

“Os refugiados são atores fundamentais na resposta de saúde pública e um elemento-chave da coesão social, inclusive aos olhos da população que os acolhe”, declarou a representante do Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) no Níger, Alessandra Morelli.

O canal da Unesco no YouTube é atualizado regularmente com novos vídeos produzidos para a campanha.

Tags: