Grupo da Eritreia processa UE por financiar obra que usou trabalho escravo

Dinheiro financia máquinas para construção de rodovia ligando a Etiópia a Eritreia; país tem ditadura velada desde 1993
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Um grupo de cidadãos da Eritreia, país no nordeste da África, entraram com um processo contra a União Europeia nesta quarta (13) para que o financiamento de uma obra que usa trabalho escravo no país. As informações são do jornal norte-americano The New York Times.

O grupo Direitos Humanos para a Eritreia, baseado na Holanda, afirma que a União Europeia conseguiu os recursos para comprar maquinário para a construção de uma rodovia que liga a Eritreia à Etiópia por meio de um processo duvidoso, mal supervisionado.

Um número ainda desconhecido de trabalhadores que opera os maquinários faz trabalho forçado. A União Europeia alega que o financiamento das máquinas torna o trabalho dessas pessoas mais leve.

A União Europeia já gastou cerca de US$ 87 milhões com a obra, com a previsão da injeção de mais US$ 127 milhões. Os valores vieram do chamado Fundo Europeu Emergencial para a África.

Eritreia processa UE por financiar obra que usou trabalho escravo
Vista de Asmara, capital da Eritreia (Foto: Wikimedia Commons)

O fundo, que é independente do principal orçamento da União Europeia, foi criado em 2015. Seu objetivo é diminuir a migração de africanos para a Europa com o financiamento de projetos geradores de empregos no continente africano.

O parlamento europeu iria discutir a paralisação do investimento, baseado no fato de que não era possível fiscalizar como o dinheiro estava realmente sendo usado.

De acordo com a reportagem, equipes da União Europeia já estiveram no local. Foram escoltados pelas autoridades eritreias, e não tiveram acesso à obra.

Desde sua independência da Etiópia, em maio de 1993, a Eritreia vive uma ditadura velada. O primeiro e único presidente do país é o ex-rebelde Isaias Afewerki.

Eritreia
Onde fica a Eritreia (Foto: Reprodução/Google Maps)

Tags: