África

Guiné-Bissau e ONU finalizam etapa de plano de transição sobre desenvolvimento

Injeção financeira de US$ 549 milhões lança bases do desenvolvimento sustentável, inclusivo e com prosperidade social

Um novo quadro de cooperação vai orientar a cooperação da ONU (Organização das Nações Unidas) com a Guiné-Bissau e permitir o alcance das prioridades traçadas no programa de desenvolvimento batizado de “Chegou a Hora”, bem como os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável até 2026.   

O acordo firmado pelo Coordenador Residente da ONU e o governo nacional, através do Ministério dos Negócios Estrangeiros, vai sustentar as políticas públicas e permitir uma melhor tomada de decisões. A ideia é fazer face a atual crise e colocar o país no trajeto do desenvolvimento sustentável

O novo quadro de cooperação dos próximos cinco anos visa também a colocar a nação de língua portuguesa no caminho da paz e da estabilidade, pleno respeito pelos direitos humanos e promoção da igualdade do gênero com base no princípio de não deixar ninguém para trás.  

Para o chefe da ONU no país, Mamadou Baldé, o ato é o início de um percurso rumo ao desenvolvimento sustentável. “Esta cerimônia de assinatura é acima de tudo uma declaração de compromisso conjunto do Sistema das Nações Unidas e Governo da Guiné-Bissau de virar a página da instabilidade política no país e iniciar esta caminhada conjunta rumo ao desenvolvimento sustentável da Guiné-Bissau”, disse ele.

Transição 

Segundo Baldé, a cooperação quinquenal é a última e principal etapa do plano de transição da ONU no país.  A trajetória começou com uma missão de manutenção de paz para um Sistema de Nações Unidas completamente ao serviço do desenvolvimento do país.    

O instrumento foi elaborado pela ONU em parceria com o governo, a sociedade civil e o setor privado ao longo dos últimos seis meses, compreendendo prioridades estratégicas como a governação, o desenvolvimento econômico e meio ambiente e o desenvolvimento do capital humano.   

“Permitam-me saudar e felicitar o governo da Guiné-Bissau pela coordenação e validação do quadro de cooperação e do plano de resposta sócio econômico da pandemia Covid-19, felicitar o governo e todos os parceiros pelas iniciativas e intervenções coordenadas, até a data presente no combate a esta pandemia”.   

Após Acordo de Conacri, divisão política de Guiné-Bissau se acentua, diz ONU
Presidente de Guiné-Bissau, Sissoco Embaló (Foto: Twitter/Sissoco Embaló)

Impactos 

A ONU espera que as prioridades estratégicas e os programas definidos no novo quadro de cooperação possam ter efeito a curto e médio prazo na vida de cada guineense, e que se possa melhor trabalhar no sentido de proporcionar um resultado visível e sustentável na vida de todos.   

Dentre os pontos estão: tornar a ONU cada vez mais relevante para o povo guineense, ajudar a garantir que o crescimento e o desenvolvimento beneficiem a todos e proteger, o ambiente para as gerações presentes e futuras.   

Baldé enalteceu e encorajou os esforços contínuos com vista a intensificar e aumentar os níveis de apropriação das partes interessadas como o governo, as Nações Unidas, a sociedade civil, o setor privado e todos os parceiros de desenvolvimento na implementação, seguimento e avaliação deste instrumento.  

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente pela ONU News