Guterres, da ONU, pede fim da “polarização” em discurso sobre Ruanda

O secretário-geral pediu rejeição às "forças da polarização" em discurso que lembrou genocídio de 1994
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Durante discurso que lembrou os 26 anos do genocídio em Ruanda, em 1994, o secretário-geral da ONU (Organização das Nações Unidas) António Guterres pediu que o mundo “rejeite as forças da polarização, do nacionalismo e do protecionismo”. A fala ocorreu nesta terça (7), em cerimônia pela internet.

Para Guterres, “apenas reconhecendo que somos uma família humana dividindo o mesmo planeta, seremos capazes de enfrentar os vários desafios globais que nos confrontam – da Covid-19 à mudança climática”.

Guterres pede fim da polarização em Ruanda; crianças ruandesas
Crianças ruandesas no campo de refugiados de Ndosha, na República Democrática do Congo (antigo Zaire), em julho de 1994 (Foto: ONU)

A cerimônia do Dia Internacional de Reflexão sobre o Genocídio em Ruanda aconteceu à distância, sem evento na sede das Nações Unidas em Nova York (EUA), por conta das medidas de restrição contra o novo coronavírus.

Os massacres, onde entre 800 mil e um milhão de pessoas foram mortas, duraram três meses. A maior parte das vítimas era da etnia tutsi e foi perseguida pela maioria hutu, que representava cerca de 85% da população ruandesa.

Tags: