Novo surto de ebola é declarado na República Democrática do Congo

Novo surto de Ebola no país foi declarado após o caso confirmado de um homem que morreu em virtude da doença
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no email

As autoridades de saúde da República Democrática do Congo declararam um novo surto de Ebola no país. A OMS (Organização Mundial da Saúde) informou no sábado (23) que o anúncio foi feito após a confirmação de um caso em Mbandaka, uma cidade na província do Equador, no noroeste congolês.

O doente infectado era um homem de 31 anos que começou a apresentar sintomas em 5 de abril e, após mais de uma semana de cuidados em casa, procurou tratamento em uma unidade de saúde local. Em 21 de abril, ele foi internado em um centro de tratamento intensivo de Ebola, mas morreu mais tarde naquele dia.

Tendo reconhecido os sintomas, os profissionais de saúde enviaram imediatamente amostras para testar a doença do vírus Ebola, explicou a OMS. Até agora, apenas este caso foi confirmado, e as investigações para determinar a origem do surto estão em andamento.

“O tempo não está do nosso lado”, disse Matshidiso Moeti, diretora regional da OMS para a África. “A doença teve um avanço de duas semanas e agora estamos tentando recuperar o atraso. A notícia positiva é que as autoridades de saúde da República Democrática do Congo têm mais experiência do que qualquer outra pessoa no mundo em controlar rapidamente os surtos de Ebola”, acrescentou.

Homem recebe vacina ao Ebola na capital da República Democrática do Congo, Kinshasa, em janeiro de 2020 (Foto: Banco Mundial/Vincent Tremeau)

Este é o 14º surto de Ebola na República Democrática do Congo desde 1976, o sexto desde 2018. Trata-se da ocorrência mais frequente na história do país, segundo a agência de saúde da ONU.

Os surtos anteriores na Província de Equador ocorreram em 2020 e 2018, com 130 e 54 casos registrados, respectivamente.

As autoridades de saúde também estão identificando contatos para monitorar a saúde e desinfetar a unidade de saúde onde o paciente foi tratado. Além disso, os planos para iniciar a vacinação nos próximos dias estão em andamento com estoques da vacina rVSV-ZEBOV Ebola já disponível nas cidades de Goma e Kinshasa.

“As vacinas serão enviadas para Mbandaka e administradas através da ‘estratégia de vacinação em anel – onde os contatos e contatos dos contatos são vacinados para conter a propagação do vírus e proteger vidas”, destacou a OMS.

“Muitas pessoas em Mbandaka já estão vacinadas contra o Ebola, o que deve ajudar a reduzir o impacto da doença”, acrescentou Moeti. “Todos aqueles que foram vacinados durante o surto de 2020 serão revacinados.”

O Ebola é uma doença grave, muitas vezes fatal, que afeta humanos e outros primatas. As taxas de mortalidade de casos variaram de 25% a 90% em surtos anteriores.

Conteúdo adaptado do material publicado originalmente em inglês pela ONU News

Tags: