ONU: Missão de paz em Darfur, no Sudão, termina após 13 anos

Operação atuou em zonas de conflito com mais de 300 mil mortos; nova missão apoiará transição democrática
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Material publicado originalmente na agência de notícias da ONU (Organização das Nações Unidas)

O dia 31 de dezembro marcou o fim do mandato da Unamid (Missão da ONU e União Africana em Darfur). A operação foi criada em 2007 e teve uma força de mais de 19,2 mil boinas azuis, incluindo tropas, especialistas e oficiais.

Estima-se que os confrontos entre grupos rebeldes, governo e forças aliadas, desde 2003 em Darfur, tenham causado mais de 300 mil mortes e 2,5 milhões de deslocados.

Em comunicado conjunto, o presidente da Comissão da União Africana, Moussa Faki Mahamat, e o secretário-geral da ONU, António Guterres, lembraram o caráter “único e histórico” da missão de paz híbrida.

ONU: Missão de paz em Darfur, no Sudão, termina após 13 anos
Boinas azuis da Missão de Paz da ONU e União Africana em Darfur, Sudão (Foto: UN Photo/Albert Gonzalez Farran)

Enquanto vários países contribuíram com forças militares e policiais, doadores participaram dos esforços coletivos para proteger civis e ajudar a construir a paz em Darfur. “Apelamos a todos no Sudão para garantir a retirada segura e ordenada da Unamid nos próximos seis meses”, disse um comunicado conjunto.

Estado de direito

O fim das atividades da operação de paz foi decidido pelo Conselho de Segurança em junho. Outra resolução estabelece a Unitams (Missão Integrada das Nações Unidas para a Transição no Sudão).

Por um ano, a operação deve ajudar a transição para a democracia, proteção e promoção dos direitos humanos e da paz. O apoio ao governo será em áreas como consolidação da paz, proteção de civis e Estado de direito.

Darfur continuará a ter particular atenção com assistência técnica na redação de uma Constituição e apoio a negociações de paz e implementação de qualquer acordo de paz se necessário.

Em 2011, o acordo de paz previa um referendo para a área rica em recursos naturais. Pela resolução, o Conselho de Segurança pede a Guterres que implemente o Unitams de forma a estar pronta a iniciar ações até 1 de janeiro de 2021.

Tags: