Pacto comercial pode aumentar renda na África em até US$ 450 bi

Para Banco Mundial, geração de empregos tiraria cerca de 30 milhões de pessoas da pobreza extrema até 2035
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O pacto comercial AfCFTA (Área de Livre Comércio Continental Africana) pode aumentar a renda regional da África em cerca de US$ 450 bilhões, quase 7% da cifra atual, de acordo com anúncio do Banco Mundial nesta segunda (27).

O acordo deve gerar novas oportunidades de emprego e renda, além de possibilitar a saída de cerca de 30 milhões de pessoas da pobreza extrema até 2035. Também deve servir de impulso para tornar os países africanos mais competitivos.

As exportações intercontinentais aumentariam em 81% e para países não africanos em 19%. Segundo o Banco Mundial, a maior parte dos ganhos virá pela redução da burocracia e pela simplificação os procedimentos aduaneiros.

Pacto comercial pode aumentar renda na África em até US$ 450 bi
Mercado em Tema, cidade costeira em Gana, na África (Foto: Wikimedia Commons)

A liberalização tarifária e a redução de barreiras não-tarifárias pode aumentar a renda em cerca de US$ 153 bilhões. Os US$ 292 bilhões restantes seriam alcançados com redução de custos comerciais e facilitação da integração de empresas africanas na cadeia de abastecimento global.

A longo prazo, esses ganhos seriam importantes para aumentar a resistência a futuros choques econômicos, crescimento de novas indústrias e a ampliação de setores-chave.

O AfCFTA entrou em vigor em maio do ano passado em 24 países do continente, mas é pouco provável que seja implementado nos próximos meses. O motivo é a pandemia do novo coronavírus, que deve atrasar na prática o prazo para início da comercialização, em 1º de julho.

Tags: