África

Três pessoas morrem e outras 20 são sequestradas em faculdade na Nigéria

A ação foi executada por um grupo conhecido como “Bandidos”, milícias armadas que agem por dinheiro

Homens armados na Nigéria mataram três pessoas e sequestraram outras 20, entre elas estudantes e funcionários, em uma faculdade agrícola do Estado de Zamfara, no noroeste do país, informou nesta segunda-feira (16) o portal VOA News (Voice of America).

A ação foi novamente atribuída a homens armados popularmente conhecidos por “bandidos”, milícias armadas que agem por dinheiro e são responsável por uma onda de sequestros em massa de jovens em idade escolar. Eles não têm quakquer ligação com grupos jihadistas.

De acordo com relatos de funcionários da instituição de ensino, o local foi invadido no domingo (15). Entre os raptados estão quinze alunos do sexo masculino e quatro outras pessoas. Autoridades dão conta de que dois funcionários e um dos estudantes conseguiram escapar e voltaram ao educandário.

Três pessoas morrem e outras 20 são sequestradas em faculdade na Nigéria
Ataque ocorreu na Faculdade de Agricultura de Bakura, no estado de Zamfara (Foto: Divulgação)

Este é o mais recente caso de uma série de sequestros por resgate que atingem escolas no norte da Nigéria.

Emmanuel Hwande, porta-voz do Sindicato dos Professores da Nigéria, diz que os ataques persistentes têm relação ao sistema educacional precário da região.

“A maioria dessas pessoas que estão fazendo esses ataques contra as escolas não têm educação. Aparentemente, elas se radicalizaram dessa forma porque não tiveram acesso ao ensino”, justificou.

Baixa adesão escolar

O norte da Nigéria tem as taxas mais baixas de matrícula escolar do país: mais de 70% das 13,2 milhões de crianças fora da escola vivem na região. Preconceitos culturais e religiosos são tidos como fatores que influenciam na baixa taxa de evasão escolar.

Na última sexta-feira (13), o presidente Mohammadu Buhari voltou de uma viagem de 19 dias ao Reino Unido, onde participou de uma cúpula sobre educação organizada pelo primeiro-ministro britânico Boris Johnson.

Na ocasião, Buhari prometeu melhorar o financiamento da educação da Nigéria em 50% nos próximos dois anos.

Hwande diz que a prestação de contas durante a execução do orçamento pode ser um problema.

“O dinheiro está realmente indo para fornecer segurança adequada? Porque muito foi colocado em segurança e pouco está sendo alcançado.”

Criminalização do resgate

Sequestros em massa ocorrem com frequência na Nigéria. Desde dezembro, mais de mil alunos foram sequestrados de escolas no norte do país. A Anistia Internacional diz que centenas de escolas foram fechadas como resultado.

Muitos desses crimes são cometidos por insurgentes armados do grupo Boko Haram. A maioria dos alunos foi libertada, geralmente após pesados pagamentos de resgate.

Recentemente, um projeto de lei que tramita no Parlamento nigeriano propôs proibir que civis paguem resgates para libertar vítimas. Se aprovado, o dispositivo criminaliza o pagamento pela soltura das vítimas com até 15 anos de prisão.