Américas

Em Vancouver, polícia vai deixar de atender problemas de saúde mental ou drogas

Ocorrências relacionadas a questões sociais serão deslocadas; meta é aumentar esforços contra crimes graves

A cidade de Vancouver, no Canadá, vai rever as prioridades do seu setor policial. Agora, sai da polícia a responsabilidade de atender ocorrências relacionadas a problemas de saúde mental, trabalho sexual, falta de moradia e uso de substâncias químicas.

Os oficiais do Departamento de Polícia de Vancouver atenderam a mais de cinco mil chamados relacionados a saúde mental apenas em 2019 e poderiam usar esse tempo atendendo a problemas mais graves, segundo o texto do conselheiro municipal Pete Fry.

Segundo Fry, a polícia não tem preparo suficiente para lidar com esses casos. “Há um conhecimento geral de que os policiais estão atendendo rotineiramente a chamadas que seriam melhor tratadas por programas sociais e de saúde comunitária”, apontou.

Moção foi aprovada pelo Conselho Municipal de Vancouver, no Canadá (Foto: WikiCommons)

Responsabilidade da comunidade

A proposta é que grupos e organizações sem fins lucrativos treinadas para oferecer iniciativas para redução de danos sejam as responsáveis por esses atendimentos.

Além disso, a emenda sugere consultas contínuas à comunidade para compreender como melhorar os serviços de segurança e redução de danos.

A moção foi aprovada pelo Comitê Permanente de Políticas e Prioridades Estratégicas do Conselho Municipal no início da semana.