Ásia e Pacífico

Após flexibilizar isolamento, Índia registra pico de casos de Covid-19

Foram 1,5 mil casos registrados em 24 horas; país já tem ao menos 17 mil contaminados pelo novo coronavírus

Índia registra pico de novos casos de coronavírus após governo flexibilizar isolamento social (Foto: Mark Garten/UN Photo)

A Índia registrou neste domingo (19) recorde de novos casos do coronavírus em um único dia, após o governo flexibilizar as medidas de isolamento social, segundo a agência Associated Press.

Foram 1,5 mil casos registrados em apenas 24 horas. Na Índia, 17 mil pessoas estão contaminadas e pelo menos 543 pessoas morreram pelo novo coronavírus.

As medidas mais recentes permitiram a volta de atividades industriais e agrícolas em que os trabalhadores possam respeitar as recomendações de distanciamento e de higiene. Desde o dia 24 de março, apenas serviços essenciais funcionam no país.

Trabalhadores migrantes foram autorizados a viajar para fábricas e fazendas. O ministro do Interior da Índia Amit Shah afirmou que esses trabalhadores seriam rastreados pelo governo e os assintomáticos seriam transportados até seus locais de trabalho.

No estado de Maharashtra, o mais atingido pelo vírus e onde fica Mumbai, uma pesquisa do governo aponta que poucas empresas aptas a retomar as atividades conseguem fazer o transporte de seus funcionários.

Setores essenciais

A liberação do governo indiano vale para atividades como usinas de carvão, agroindústria e refinarias de petróleo. Porém, grande parte do país deve continuar respeitando as medidas de isolamento social.

O espaço aéreo do país está fechado para voos comerciais. O transporte público foi paralisado e o e-commerce está restrito para alimentação e outros produtos essenciais. Escolas, estádios e espaços religiosos permanecem fechados até 3 de maio.

Na saúde, a Índia continua a intensificar o teste na população, a reforçar o estoque de ventiladores e equipamentos de proteção, e preparar hospitais dedicados à Covid-19. Em Mumbai, as autoridades planejam a realização de um estudo para a administração da cloroquina em moradores de comunidades pobres.

O objetivo é identificar se o medicamento ajuda a diminuir a disseminação do vírus em lugares onde não é possível realizar todas as medidas de isolamento social. Não há consenso entre os especialistas sobre o uso da cloroquina no tratamento da Covid-19.