Iêmen precisa de US$ 2,41 bilhões em ajuda humanitária contra Covid-19

Após cinco anos de guerra civil, o já empobrecido Iêmen tem infraestrutura precária para lidar com vírus
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O Iêmen precisa de US$ 2,41 bilhões em ajuda humanitária para combater o novo coronavírus, de acordo com as agências da ONU e seus parceiros globais em comunicado emitido na última quinta (28).

O país, no Oriente Médio, registrou o primeiro caso de Covid-19 no início de abril. Até esta segunda (1º), foram registrados 327 casos confirmados e 81 mortes, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Entidades apontam falta de testes e análises, indicando gravíssima subnotificação do número de vítimas da pandemia no Iêmen. Apesar de os números oficiais indicarem que dez das 22 províncias tiveram casos confirmados, especialistas acreditam que todas as áreas do país já podem ter sido infectadas.

Sem recursos

Nas próximas semanas, mais de 30 entre 41 programas das Nações Unidas no Iêmen serão encerrados caso as agências não consigam fundos adicionais. Sem auxílio, a ONU teme um agravamento da pandemia do coronavírus no país.

A expectativa é de que, nesta terça (2), uma reunião de doadores resolva o problema financeiro das operações. Os programas ajudam cerca de 10 milhões de pessoas por mês.

Desde 2015, o Iêmen passa por uma guerra civil. O conflito começou em 2014, quando um grupo rebelde tentou derrubar o governo do então presidente Abd-Rabbu Mansour Hadi. Um ano depois, a coalizão saudita interveio no país na tentativa de restaurar o governo.

Diante dos frequentes conflitos, o sistema de saúde do país tem uma infraestrutura precária, que está ainda mais sobrecarregada pela crise de saúde. Apenas metade das instalações médicas iemenitas funciona.

Há falta de máscaras de proteção, luvas e outros equipamentos. Suprimentos essenciais, como oxigênio, também são escassos, assim como o saneamento básico e a água potável. Muitos profissionais da saúde têm atuado mesmo sem receber salário.

Mulheres e crianças

De acordo com a ONU, mais de 12 milhões de crianças e seis milhões de mulheres em idade fértil precisam de algum tipo de assistência humanitária. Mais de um milhão de gestantes estão desnutridas.

Também preocupa os especialistas o deslocamento causado pelo conflitos. A ONU aponta que quase 100 mil pessoas já foram obrigadas a fugir de suas casas apenas este ano. Ao todo, a guerra no Iêmen já deslocou 3,6 milhões de pessoas.

Assistência

Iêmen precisa de US$ 2,41 bilhões em ajuda humanitária para enfrentar Covid-19
Unicef entrega equipamentos de proteção no Iêmen (Foto: Unicef/Reprodução)

No último sábado (30), um avião fretado pela Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) pousou no aeroporto da capital Sanaa, carregado de suprimentos de assistência médica, como equipamentos de proteção individual.

O carregamento ajudará pelo menos 1,6 mil profissionais da saúde no país pelo período de três meses. Estão sendo preparados envios de kits de diagnóstico.

Tags: