Saúde na Ucrânia sofre com sobrecarga em meio à pandemia

Dilapidados por crise e guerra, hospitais estão lotados menos com número baixo de casos, cerca de 16,8 mil, no país
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Na Ucrânia, médicos têm sofrido com a sobrecarga do sistema de saúde diante da pandemia do novo coronavírus. Muitos comparam o momento a uma situação de guerra, de acordo com a agência de notícias Associated Press.

Equipamentos quebrados ou precários, falta de medicamentos e baixos salários para os profissionais refletem a falência do sistema de saúde ucraniano. Isso a despeito do baixo número de casos, em comparação a outras partes do mundo.

Dados da OMS (Organização Mundial da Saúde) divulgados nesta segunda (18) apontam 18,6 mil casos confirmados do coronavírus e 535 mortes em decorrência da doença na Ucrânia.

Saúde na Ucrânia sofre com sobrecarga em meio à pandemia
Vista da cidade de Chernivtsi, na Ucrânia (Foto: Mstyslav Chernov/Wikimedia Commons)

A economia ucraniana, afetada pela corrupção, vem apresentando contrações ao longo dos últimos seis anos. Em grande medida, a crise foi catalisada pela guerra separatista em Donbass, leste do país, apoiada pela Rússia.

Durante o governo de Petro Poroschenko, antecessor do presidente Volodmyr Zelensky, houve uma tentativa de reforma na saúde. Entre as medidas, houve corte drástico de subsídios estatais. A consequência foi a diminuição dos recursos para o setor.

Além da falta equipamentos, há problemas estruturais. Um exemplo é a ala de doenças infecciosas do principal hospital da cidade de Chernivtsi, no oeste do país. Construída há mais de um século, não dispõe de um sistema de fornecimento de oxigênio centralizado, como em clínicas modernas.

O suprimento de oxigênio da unidade de saúde está localizado em apenas uma sala e os enfermeiros precisam reabastecer manualmente as bolsas, que chamam de “travesseiros de oxigênio”, a cada poucos minutos.

Tags: