ONU pede táticas anticorrupção na luta da Bósnia e Herzegovina contra Covid-19

Entre as sugestões estão rastreamento de doações internacionais para evitar desvios e enriquecimento ilícito
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A Bósnia e Herzegovina, república da antiga Iugoslávia, deve tomar cuidado para que a corrupção não atrase esforços de resposta ao coronavírus. O alerta foi feito nesta quarta (6) pelo representante das Nações Unidas nos Bálcãs, Valentin Inzko.

Inzko elogiou os esforços do país, onde há 25 anos terminou o mais grave conflito em território europeu desde a II Guerra. A Bósnia e Herzegovina teve 1.968 casos e 42 mortes, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Entre as recomendações do emissário estão a criação de mecanismos para rastrear doações internacionais que entram no país. A medida de governança ajudaria a diminuir os desvios e o enriquecimento ilícito de autoridades.

ONU pede táticas anticorrupção na luta da Bósnia e Herzegovina contra Covid-19
Turista na cidade de Mostar, na Bósnia e Herzegovina (Foto: Creative Commons)

“Acima de tudo, a Bósnia e Herzegovina precisa melhorar seu estado de direito e lutar contra essa grande pandemia chamada corrupção”, afirmou.

O alerta vem no ano em que o acordo de Dayton, que pôs fim na guerra nos Bálcãs, completa 25 anos. O país, composto por uma complexa união de república e federação, deve realizar eleições gerais em um ano e meio.

Tags: