Ásia e Pacífico

Viagem de Boris Johnson à Índia, em janeiro, abre portas a Modi no G7

Premiê será o convidado de honra de Nova Délhi no Dia da República; convite para o G7 marca posição contra a China

A confirmação da viagem do primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, à Índia, em janeiro, pavimentará a entrada de Nova Délhi ao G7. O premiê britânico convidou a Índia para participar da cúpula em Londres no próximo ano.

Johnson será o convidado especial da celebração ao Dia da República da Índia, marcado para 26 de janeiro, confirmou o jornal indiano “Hindustan Times”. A viagem será a primeira oficial de Johnson desde a saída definitiva da União Europeia, que se concretiza a partir do próximo dia 1.

Confirmação de Boris Johnson à Índia, em janeiro, abre portas a Modi no G7
Os primeiros-ministros do Reino Unido, Boris Johnson (esq.), e da Índia, Narendra Modi, em encontro em Nova Délhi, janeiro de 2017 (Foto: Ministério de Relações Exteriores da Índia)

Com a confirmação, Johnson se torna o segundo primeiro-ministro inglês a participar do desfile. Antes dele, só John Major havia participado da celebração, em 1993.

Downing Street apontou que o objetivo é fortalecer as relações bilaterais entre os dois países e apoiar a formação de novos empregos e investimentos. Em junho, Donald Trump já havia convidado Modi a integrar a cúpula do G7.

Além da Índia, Johnson já se movimenta para ampliar o G7 das principais nações industrializadas para dez democracias com papel de liderança global e regional, disse um porta-voz ao The Guardian.

O enfrentamento à ascensão chinesa está entre as prioridades. Coreia do Sul, Rússia e Austrália também foram convidados a integrar o grupo hoje composto por Alemanha, Canadá, EUA, França, Itália, Japão e Reino Unido.