Europa

População vai às ruas protestar contra a poluição industrial na Sérvia

Protesto fechou uma das principais pontes da cidade, pedindo ações mais duras do governo contra empresas de mineração e energia

Milhares de pessoas realizaram um protesto nas ruas de Belgrado, no sábado (11), contra a poluição industrial na Sérvia. Um dos alvos da manifestação foi a minerado anglo-australiana Rio Tinto, que planeja iniciar a exploração de uma mina de lítio no país. As informações são da Radio Free Europe.

O protesto fechou uma das principais pontes da cidade por duas horas. Os manifestantes pediam ações mais duras do governo contra a poluição, sobretudo aquela produzida por empresas de mineração e de geração de energia.

Um acordo de US$ 2,4 bilhões foi fechado em julho para a Rio Tinto iniciar a exploração e o processamento de lítio no país. A mina tem potencial para gerar receitas de exportação significativas, além de empregos, sobretudo se o governo sérvio realizar o refinamento do material no país e desenvolver fábricas de produção de baterias.

Enquanto o governo vê o projeto como uma forma de impulsionar e economia, a população alega que será devastador para o meio ambiente. A empresa, segunda maior mineradora do mundo, diz que seguirá todos os protocolos ambientais do país e da União Europeia (UE).

Com o objetivo de se juntar à UE, a Sérvia precisa de bilhões em investimentos para atingir os padrões ambientais exigidos pelo bloco. A poluição causa cerca de 6,6 mil mortes por ano no país, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde).

Nova Rota da Seda

A China é outro país a investir pesado em mineração na Sérvia, uma peça importante da Nova Rota da Seda (Belt and Road Initiative). A iniciativa do governo chinês visa a espalhar sua influência pelo mundo através do investimento em projetos de infraestrutura e transporte.

“A Sérvia, um importante elo da Nova Rota da Seda, está importando da China projetos econômicos prejudiciais ao meio-ambiente, ao mesmo tempo em que adota o modelo político chinês no qual a elite sacrifica a segurança ambiental e a saúde pública em prol do crescimento econômico e para permanecer no poder”, diz Vuk Vuksanovic, pesquisador da Escola de Economia e Ciências Políticas de Londres.

Usina siderúrgica a carvão de Zelezara, na Sérvia: (Foto: divulgação/hbisserbia.rs/)

Entre 2010 e 2019, a China investiu 1,6 bilhão de euros na Sérvia, que ainda recebeu outros 7 bilhões de euros em empréstimos chineses para obras de infraestrutura. Porém, as empresas chinesas não se enquadram nos rígidos padrões ambientais da Europa, e assim surgem os efeitos nefastos do alto investimento sem projeção prévia do impacto ambiental. 

A cidade de Bor, por exemplo, registrou neste ano níveis muito acima do aceitável de poluição do ar. Desde o começo de 2021, a presença de dióxido de enxofre no ar local superou o limite diário em 15 ocasiões, sendo que o máximo permitido por lei é de três vezes no ano.

Bor é sede de uma mina de cobre atualmente gerenciada pela chinesa Zijin Mining Group. O problema de poluição na cidade é antigo, mas se intensificou desde que os chineses assumiram o controle da mina e da fundição, em 2018.