Oriente Médio

Afeganistão anuncia a morte de centenas de talibãs nas últimas 24 horas

Relato foi feito pelo governo no Twitter, em sucessivos posts sobre operações das forças de segurança nacionais.

Centenas de combatentes do Taleban foram mortos em diversas ações militares num período de 24 horas no Afeganistão. A informação foi divulgada na segunda-feira (9) pelo Ministério da Defesa do país, através do Twitter, em sucessivos posts sobre operações empreendidas pelas forças de segurança nacionais.

Um dos posts do Ministério exibe o vídeo de um ataque da força aérea afegã que teria eliminado 47 jihadistas, destruindo ainda dois esconderijo, um veículo e dois armamentos pesados usados pelo grupo.

Um dos posts fala em 579 terroristas mortos nas províncias de Nangarhar, Khost, Logar, Paktia, Kandahar, Herat, Farah, Jowzjan, Samangan, Helmand, Takhar, Kunduz e Panjshir.

Entre os talibãs eliminados está Bashir Anas, chefe de ataques suicidas e carros-bomba do grupo terrorista. Ele foi alvo de operações aéreas na periferia da cidade de Lashkargah, centro provincial de Helmand, que terminaram com a morte 63 terroristas, segundo o governo.

Avanço talibã

O anúncio das operações militares foi feito no mesmo dia em que os talibãs assumiram o controle de Aibak, na região norte do Afeganistão. Foi a sexta capital provincial tomada pelo grupo extremista em quatro dias, informou uma fonte do governo local.

Soldados das forças de segurança do Afeganistão em ação contra o Taleban em agosto de 2021 (Foto: twitter.com/MoDAfghanistan)

Os militantes do Taleban “estão no controle total”, disse o vice-governador de Samangan (da qual Aibak é a capital), Sefatullah Samangani, de acordo com a Radio Free Europe.

Com o domínio de Aibak, os jihadistas já controlam seis capitais de província no Afeganistão, em uma ofensiva devastadora que as forças afegãs parecem não ter como responder. Até a residência do ministro de Defesa foi alvo de um carro-bomba na semana passada, expondo a fragilidade militar do país.

O momento coincide com a retirada das tropas dos EUA e da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) iniciada em maio e que será concluída até o dia 11 de setembro.

Rumo aos grandes centros

Desde maio, aproveitando a fase final da retirada das tropas estrangeiras, os talibãs assumiram o controle de extensas áreas rurais do país. Agora, a organização tem como meta tomar as grandes cidades.

O Taleban também conquistou a maior parte de Lashkar Gah, capital da província de Helmand, no sul, onde os extremistas tomaram nove dos dez distritos policiais da cidade só na semana passada. Os confrontos seguem intensos, assim como os ataques aéreos dos EUA e do governo afegão.

Muitos civis vêm sendo vitimas no confronto. O Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância) emitiu nota nesta segunda-feira (9) informando que pelo menos 27 crianças foram mortas e 136 feridas em três províncias do Afeganistão nos últimos três dias em meio à escalada da violência.

No Brasil

Casos mostram que o Brasil é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino.

Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos.

Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.