Oriente Médio

Força de segurança prende 24 suspeitos do Estado Islâmico na Síria

Entre os presos, estão suspeitos de assassinar um dos líderes das forças de segurança na região; armas e explosivos caseiros foram confiscados

As Forças Democráticas Sírias (SDF) prenderam 24 suspeitos de integrarem o EI (Estado Islâmico) na província oriental de Deir ez-Zor, na Síria, no domingo (23). A operação varreu 53 locais – incluindo campos de deslocados. Também foram confiscadas armas no local.

“A operação foi lançada com base em apelos de residentes após um aumento nas operações terroristas do Daesh no local. Os alvos eramchefes e autoridades da região, funcionários de instituições de serviço e cientistas”, disse a SDF ao “Rudaw”. Segundo o documento, a região era explorada por terroristas do EI para esconder, fabricar explosivos e recrutar terroristas.

Forças Democráticas Sírias (SDF) predem 24 suspeitos do Estado Islâmico, maio 2021. (Foto: SDF)

A SDF ainda informou que alguns dos presos estiveram envolvidos no recente assassinato de Muayyad al-Rayash, membro do conselho legislativo na região. Ele foi morto a tiros por dois homens armados em uma motocicleta no início deste mês. Outros presos incluem militantes que realizaram ataques terroristas durante os três dias finais do Ramadã. 

“As forças também confiscaram um grande número de granadas de mão, AKs-47, facas, equipamentos de comunicação por satélite, documentos de identificação, planos para operações terroristas, uniformes militares e drogas”, disse a SDF.

Operações contra o Estado Islâmico

O ISIS controlava áreas do Iraque e da Síria desde 2014 e foi derrotado territorialmente em 2017 e 2019, respectivamente. No entanto, ainda permanece uma ameaça para ambos os países, especialmente nas áreas de fronteira.

A SDF realizou várias operações militares na fronteira Iraque-Síria contra o grupo, a última ocorrida em 9 de maio. Apesar da coordenação e cooperação entre a SDF e o exército iraquiano, o ISIS conseguiu contrabandear combatentes e armas através da fronteira nos últimos anos.

No último relatório trimestral, o Pentágono registrou que a SDF conduziu sozinha 51 operações contra o ISIS entre 1º de janeiro e 31 de março. De acordo com o documento, as forças priorizaram a captura de facilitadores e contrabandistas de armas.

No Brasil

Casos mostram que o país é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino. Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos. Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.