África

Mais de 800 pessoas pagaram por falsas vacinas contra a Covid-19 em Uganda

Vítimas do golpe pagaram quase R$ 300 pelas doses do falso imunizante, ministrado por um médico que está foragido

Mais de 800 pessoas receberam doses falsas de vacinas contra a Covid-19 em Uganda, no leste da África, na semana passada. De acordo com o jornal Daily Monitor, há relatos de pessoas enganadas que morreram da doença em meio à segunda onda que atinge o país.

De acordo com o Dr. Wallen Naamara, chefe da Unidade de Monitoramento de Saúde da Câmara Estadual, o golpe ocorreu entre os dias 15 de maio e 17 de junho.

Um médico acusado de liderar o esquema fugiu e é procurado pelas autoridades. Duas enfermeiras que também teriam participado do golpe foram detidas. Suspeita-se que os golpistas tenham injetado água nos clientes, que pagaram até 200 mil shillings (R$ 279) por cada dose da vacina.

Mais de 800 pessoas pagaram por vacinas falsas contra a Covid-19 em Uganda
Enfermeira recebe vacina contra Covid-19 em hospital da região de Ashanti, Uganda, março de 2021 (Foto: Unicef/Apagnawen Annankra)

“Os rótulos dessas vacinas parecem ter sido roubados de algum lugar ou mesmo produzidos em Kampala (capital ugandense), mas não passaram pelos canais certos do governo. Quase todas as vacinas de Covid-19 têm 5 ml, mas essas não parecem ter 5 ml, são maiores”, disse o Dr. Naamara.

As enfermeiras acusaram um outro médico,  Dr Francis Baguma, de fornecer as vacinas. Ele também é procurado pela polícia local e continua foragido.

Até esta quinta (1), foram confirmados mais de 5,5 milhões de casos de Covid-19 em 55 países africanos, de acordo com dados da Universidade Johns Hopkins, dos EUA. As mortes relatadas na África atingiram 142.948. A África do Sul tem o maior número de casos notificados, 1,97 milhão, e registrou 60.647 mortes. Outros países mais afetados são Marrocos (531.361), Tunísia (420.103), Egito (281.031), Etiópia (276.174), Líbia (193.474) e Quênia (184.161).