África

Membro do alto escalão do Estado Islâmico é capturado pelo exército francês no Mali

Abou Dardar foi detido em meio a uma operação que terminou com 12 terroristas e um soldado mortos na região do Sahel

A França anunciou na quarta-feira (16) a prisão de um oficial de alta patente do grupo autointitulado Estado Islâmico no Grande Saara (EIGS). A informação foi divulgada pela agência France Press

A prisão de Dadi Ould Chouaib, também conhecido como Abou Dardar, aconteceu no dia 11 de junho no Mali, próximo à tríplice fronteira com Níger e Burkina Faso. Dardar jaz fez parte de uma milícia ligada à Al-Qaeda, mas juntou-se ao Estado Islâmico (EI) com muitos outros jihadistas.

De acordo com o exército francês, o terrorista foi preso com “uma arma automática, um binóculos de visão noturna, um telefone e um rádio”. Ele foi avistado durante uma patrulha de helicóptero e se rendeu sem oferecer resistência, segundos os militares.

Exército francês realiza operação conjunta com forças do Níger no Sahel (Foto: Facebook/@armee2terre)

Os exércitos do Níger e da França realizam uma operação conjunta na região desde o dia 8 de junho. De acordo com o país africano, um confronto entre as forças militares dos dois países e o EIGS terminou com um soldado e 12 terroristas mortos, na terça-feira (15).

Segunda captura

Dardar chegou a ser preso pela França em 2014 e entregue ao governo do Mali. Porém, ele foi libertado seis anos depois numa troca de prisioneiros que libertou quatro reféns dos jihadistas. Uma refém era a trabalhadora humanitária Sophie Petronin, fundadora de uma entidade que cuida de crianças desnutridas na região. 

O terrorista é acusado de ter participado de uma violenta ação no norte do Mali, em maio deste ano. Homens armados invadiram o mercado de Tin-Hama e cortaram mãos e pés de dois homens. Os responsáveis pelo ataque seriam ligados ao EIGS, de acordo com a missão da ONU (Organização das Nações Unidas) no Mali.

No Brasil

Casos mostram que o país é um “porto seguro” para extremistas. Em dezembro de 2013, um levantamento do site The Brazil Business indicava a presença de ao menos sete organizações terroristas no Brasil: Al Qaeda, Jihad Media Battalion, Hezbollah, Hamas, Jihad Islâmica, Al-Gama’a Al-Islamiyya e Grupo Combatente Islâmico Marroquino. Em 2001, uma investigação da revista VEJA mostrou que 20 membros terroristas de Al-Qaeda, Hamas e Hezbollah viviam no país, disseminando propaganda terrorista, coletando dinheiro, recrutando novos membros e planejando atos violentos. Em 2016, duas semanas antes do início dos Jogos Olímpicos no Rio, a PF prendeu um grupo jihadista islâmico que planejava atentados semelhantes aos dos Jogos de Munique em 1972. Dez suspeitos de serem aliados ao Estado Islâmico foram presos e dois fugiram. Saiba mais.