Método ‘canguru’ ajuda a salvar bebês prematuros em Camarões

Modelo promove contato pele com pele de mãe e recém-nascido e foi levado ao país do oeste africano pelo Acnur
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Mães que moram em campos de refugiados em Camarões estão recorrendo ao método canguru para salvarem seus filhos prematuros. O recurso foi levado a regiões pobres do país africano em 2018 por um projeto do Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados).

A base do modelo é o contato pele a pele. Envolvido junto ao peito da mãe, o bebê mantém uma temperatura corporal estável devido ao calor natural gerado pelo corpo da mãe.

O método de cuidado neonatal é inspirado na forma como os cangurus carregam seus filhotes na natureza e tem salvado a vida de vários bebês nascidos antes do tempo necessário de gestação.

Método canguru foi levado a regiões pobres de Camarões em 2018 pela ONU (Foto: Xavier Bourgois/UNHCR)

A solução tem ganhado espaço em locais como campos de refugiados, onde os hospitais tem infraestrutura precária e sofrem de falta constante de energia, colocando a vida dos bebês prematuros em risco.

Cerca de 700 kits para o método canguru foram entregues em seis campos de refugiados em Camarões. No entanto, a ONU aponta que é necessário mais. Apenas seis dos 42 centros de saúde apoiados pelas Nações Unidas receberam o kit.

Antes do método canguru chegar ao país africano, as mães costumavam encher garrafas de plástico com água quente e posicioná-las próximas aos prematuros para mantê-los aquecidos. No entanto, os bebês costumavam sofrer queimaduras ou quedas bruscas de temperatura após a água esfriar.

“Regularmente perdíamos bebês para a hipotermia. Ficávamos desesperadas quando fazíamos o parto de bebês prematuros de 800 ou 900 gramas”, afirma a parteira Monique Meka, que mora no distrito de Garoua Boulai, no extremo leste do país e na fronteira com a República Centro-Africana, a 25 km do campo de refugiados de Gado.

Meka afirma que muitos bebês morriam a caminho do hospital de Bertoua, cerca de quatro horas de distância do local. A instituição é a única na região com capacidade para lidar com os casos dos prematuros.

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), mais de 20 milhões de bebês nascem prematuros anualmente. Desse total, 96% estão em países em desenvolvimento.

Método 'canguru' ajuda bebês prematuros em Camarões
Onde fica Camarões (Foto: Reprodução/Google Maps)

Tags: