Na Guatemala, manifestações pedem renúncia de Giammattei

Revolta "do Feijão" começou após aprovação do Orçamento de 2021, com cortes nos gastos de saúde e educação
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Manifestantes estão nas ruas na Guatemala para pedir a renúncia do presidente Alejandro Giammattei e seu vice, Guillermo Castillo. De acordo com o diário local “El Periódico”, novos protestos estão previstos para esta quarta-feira (9).

Liderados pela ASP (Assembleia Popular Social) – organização que reúne grupos sindicais de camponeses, professores e funcionários públicos –, as manifestações devem bloquear rodovias de acesso a Huehuetenango, a cerca de 180 quilômetros da capital, Cidade da Guatemala.

Os protestos contra o presidente começaram em novembro. Os manifestantes acusam o mandatário de encobrir atos de corrupção e aprovar o Orçamento de 2021 para o país sem transparência.

Setores da Guatemala seguem mobilizados para pressionar renúncia de Giammattei
Manifestante pede pela renúncia de Alejandro Giammattei, na Cidade de Guatemala, em novembro de 2020 (Foto: Twitter/Asemblea Popular Social)

A lei orçamentária, que já foi anulada, diminuía programas de saúde e nutrição e, conforme os ativistas, ignorava problemas urgentes do país, como a pandemia da Covid-19.

Mesmo com baixa nos casos, o país de 17 milhões de habitantes já registra 125 mil casos e quatro mil mortes em decorrência da doença causada pelo novo coronavírus.

Integrantes do movimento já intitulam os protestos como “Revolução do Feijão”. O nome é uma resposta a comentários irônicos de um deputado ligado ao governo que teria chamado os manifestantes de “comedores de feijão”.

Além da renúncia da chapa governista, os manifestantes também pedem pela saída de membros das bancadas legislativas responsáveis pela aprovação do orçamento de 2021.

Manifestantes acusam o governo de incitar a brutalidade policial em protestos. O conservador Giammattei está no poder há 10 meses.

Tags: