Américas

Nos EUA, união LGBT cresce 70% e já levou 500 mil casais ao altar desde 2014

Decisão da Suprema Corte que garantiu acesso a casamento é de 2015; estados regulamentavam uniões

Cinco anos depois de a Suprema Corte dos Estados Unidos legalizar os casamentos entre pessoas do mesmo sexo, mais de meio milhão de casais LGBT oficializaram a união no país. São 568 mil famílias, apontam dados do Censo dos EUA divulgados nesta quinta (17).

Desde 2014, o número de casais homossexuais que oficializou a união cresceu quase 70%. No ano seguinte, veio a decisão que garantiu o acesso ao casamento legal em todo o país.

A pesquisa também mostra uma disparidade econômica significativa entre casais do mesmo sexo e casais do sexo oposto. Famílias LGBT têm uma renda média mais alta, que alcança US$ 107,2 mil (R$ 560 mil) ao ano. Entre casais heterossexuais, a renda média é de US$ 96,9 mil (R$ 507 mil).

Desde 2015, meio milhão de casais gays oficializaram união nos EUA
Idosas celebram a Parada do Orgulho Gay na cidade de Sacramento, na Califórnia, em junho de 2013 (Foto: Flickr/Robert Couse-Baker)

Ainda assim, os casais do sexo masculino ganham mais que os casais femininos: US$ 123,6 mil (R$ 646 mil) contra US$ 87,6 mil (R$ 458,4 mil) ao ano. A diferença é de quase US$ 40 mil.

Além disso, as mulheres em um relacionamento com outra mulher são mais propensas a trabalhar fora que as casadas com homens. Já os homens casados com homens são menos propensos a trabalhar que os casados com mulheres, concluiu o Censo.

De acordo com a pesquisa, o perfil de quem oficializou o relacionamento é de homens na faixa dos 48 anos (82%) e brancos (93%). O casamento interracial é identificado em 16% dos casais LGBT – o dobro em relação aos casais de sexos opostos.

Além das famílias que oficializaram a relação, estima-se que o país tenha mais de 980 mil casais homossexuais. Em 2019, os EUA tinham 122 milhões de famílias registradas.