Após crítica, ativista pode ser preso se não se desculpar à Corte na Índia

Ativista questionou postura do presidente do Judiciário, pilotando moto de luxo durante recesso pós-coronavírus
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O ativista Prashant Bhushan, um dos mais populares da Índia, pode ser preso se não se desculpar à Suprema Corte do país por postagens feitas no Twitter. Em junho, o advogado postou uma imagem em que o presidente do Judiciário, Sharad Arvind Bobde, dirigia uma motocicleta de 5 milhões de rúpias (R$ 375 mil).

A imagem foi feita durante o recesso nos tribunais no início da pandemia da Covid-19. Bhushan ainda o criticou por não usar máscara ou capacete. Na quinta (20), o tribunal o considerou culpado por desacato criminal ao “escandalizar a Suprema Corte”, informou a Reuters.

A Suprema Corte afirmou que a foto era falsa e que “abalava a confiança do público” e ordenou que Bhushan emitisse um pedido de desculpas.

Ele pode ficar até seis meses na prisão e ter de pagar uma multa de 2 mil rúpias (R$ 157).

Após crítica no Twitter, ativista pode ser preso se não se desculpar à Corte da Índia
Suprema Corte da Índia, localizada na capital Nova Délhi (Foto: Supreme Court of India)

À Reuters, o ativista recusou-se a comentar o assunto. “Qualquer pedido de desculpas seria falso”, disse.

“Os tweets representam as minhas crenças genuínas, cuja expressão deve ser permitida em qualquer democracia“, completou. Cabe recurso à decisão.

Tags: