Américas

Suposto ‘testa de ferro’ de Maduro, Alex Saab deve ser extraditado para os EUA

Advogados de Saab vão recorrer da decisão, classificada como “mal fundamentada”; Maduro não se manifestou

Um tribunal de Cabo Verde concordou com a extradição do empresário colombiano Alex Saab, suposto operador financeiro do presidente da Venezuela Nicolás Maduro, para os EUA.

De acordo com o jornal americano “Voice Of America“, a decisão do tribunal do país insular, na costa africana, foi emitida no dia 31. A defesa só foi informada na segunda (3).

Suposto "testa de ferro" de Maduro, Alex Saab deve ser extraditado para os EUA
Nicolás Maduro, em entrevista a jornalistas, em 2015 (Foto: UN Photo/Mark Garten)

Os advogados de Saab pretendem recorrer da extradição em até 10 dias. “A decisão não foi devidamente fundamentada”, afirmou o advogado João do Rosário. Até o momento, Maduro não se manifestou sobre o assunto.

Alex Saab foi preso na cidade de Espargos, em Cabo Verde, no dia 12 de junho enquanto reabastecia seu avião em uma viagem entre a Venezuela e o Irã. Os EUA solicitaram a sua extradição poucos dias após sua prisão.

De acordo com o governo venezuelano, a prisão do empresário foi injusta. Segundo Caracas, ele estava em uma “missão humanitária” para obter alimentos e suprimentos médicos, informou na ocasião a agência de notícias Associated Press.

Acusações

Saab é considerado um dos facilitadores de operações ilícitas do governo Maduro. Desde 2018, é considerado foragido do governo da Colômbia.

O empresário teria recebido US$ 340 milhões do governo venezuelano em contratos para abastecer mercados estatais após uma leva de estatizações. Diversos pontos de venda no país foram expropriados do setor privado para vender produtos básicos a preços tabelados.

Na Colômbia, Saab é acusado de lavagem de dinheiro de cartéis do tráfico local. Em junho, o país impôs o congelamento dos seus bens e empresas, no valor de US$ 9,7 milhões.