Atentado com carro-bomba no Afeganistão mata jornalista de TV local

O jornalista e ex-apresentador de TV afegão, Yama Siawash, estava no carro que explodiu; casos se repetem no país
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

A morte de três pessoas após a explosão de um carro-bomba – entre elas o jornalista e ex-apresentador da emissora Tolo Yama Siawash –, no dia 7, gerou indignação no Afeganistão. As informações são da VOA Asia.

Líderes do Afeganistão e dos EUA já extoraram investigações sobre a explosão que matou dois altos funcionários do Banco Central afegão e o motorista na capital Cabul.

Siawash foi âncora de programas de entrevista sobre assuntos políticos na maior rede de televisão do país antes de atuar como conselheiro do presidente do Banco Central.

Até o momento, nenhum grupo reivindicou o crédito pelo atentado. O Ministério do Interior afegão, no entanto, culpa a unidade militante Haqqani, ligada a grupos rebeldes do Taleban.

Com morte de jornalista, explosão de carro-bomba em Cabul gera indignação
Polícia afegã checa os estragos em automóvel que explodiu e matou altos funcionários do Banco Central do Afeganistão, em Cabul, novembro de 2020 (Foto: Reprodução/Polícia do Afeganistão)

Em meio a mais uma tentativa de processo de paz interna, o Afeganistão registra uma série de assassinatos a personagens de alto perfil nas últimas semanas.

Na quinta (12) outro jornalista morreu após a explosão de um carro-bomba em Lashkar Gah, no sul do país. A cidade é palco de conflitos violentos entre talibãs e forças afegãs.

Tanto o presidente do Afeganistão, Ashraf Ghani, quanto o líder do Taleban, Abdullah Abdullah, condenaram o ataque. “É um crime imperdoável”, disse Abdullah em um comunicado.

Tags: