Agricultoras na Dominica buscam novas maneiras de vender produtos

Pandemia afetou pequenas produtoras, que ainda se recuperavam dos efeitos do furacão Maria, de 2017
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Muito mudou para os pequenos agricultores da Dominica, ilha no Caribe, depois que o novo coronavírus chegou à região. As vendas despencaram com o fechamento de mercados e restaurantes, medida imposta pelo governo para contenção da Covid-19.

Os pontos de venda das agricultoras foram quase todos eliminados pelas medidas de restrição. Os mercados foram fechados pelo toque de recolher dos fins de semana e as vendas aos supermercados e restaurantes também foram suspensas.

O fechamento dos portos impossibilitam a venda dos produtos para exportadores e vender diretamente para os consumidores era arriscado, já que há risco de infecção. Sem ter onde vender, muitos produtos estragaram.

“Todos nós temos sido afetados pela Covid-19. Temos muitas coisas em nossas hortas que não podemos vender. Nós precisamos de dinheiro para pagar as contas. Temos que prover tudo para nós”, explica uma agricultora durante uma conversa com a ONU Mulheres.

Agriculturas na Dominica buscam novas maneiras de vender produtos
Agricultoras da Dominica após furacão de 2017 (Foto: Sharon Carter-Burke/ONU Mulheres)

Novo revés

A perda de renda tem sido particularmente difícil para as agricultoras, que ainda recuperavam suas finanças da passagem do furacão Maria, que destruiu a ilha em setembro de 2017.

As agricultoras têm tido bons resultados com a estratégia de elaborar um inventário semanal de produtos. A lista é distribuída para varejistas e clientes finais, aumentando as compras diretas. A tática foi adotada em um projeto da ONU Mulheres.

Vanessa Julien, coordenadora da Warner Farmers Producers, acredita que o projeto já está fazendo a diferença. “Sou produtora de batata doce. Um dos supermercados não costuma comprá-las, mas por causa do projeto, eles estão tentando nos ajudar”, conta.

A ONU Mulheres também providenciou dados de celulares para que elas possam trabalhar usando os aparelhos.

Embora tenha adotado medidas de isolamento, Dominica registrou até esta terça (2) 16 casos confirmados da doença. Não há registros de mortes, de acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde).

Onde fica a Dominica (Foto: Reprodução/Google Maps)

Tags: