Américas

ONU: Américas devem receber 728 mil vacinas contra a Covid-19 via Covax

Remessas devem ser entregues já nos próximos dias a Peru, Guatemala, El Salvador, Honduras e Jamaica, informou a Opas

Este conteúdo foi publicado originalmente no portal ONU News, da Organização das Nações Unidas

A diretora geral da Opas (Organização Pan-Americana da Saúde), Carissa Etienne, informou que a agência deve entregar 728 mil doses da vacina à Covid-19 nas Américas já nos próximos dias. 

Segundo Etienne, os lotes vão ajudar a avançar a imunização na região e são parte de um envio total de mais de 3,4 milhões de doses. 

Ela informou que apenas dois fabricantes de vacinas estão despachando milhões de doses para dezenas de países, o que ainda impede a entrega para todas as nações ao mesmo tempo, mas esses envios devem ser regularizados nos próximos meses. 

Cerca de  400 mil doses adquiridas pela Covax, a iniciativa da OMS com parceiros para levar a vacina a países em desenvolvimento serão entregues para Peru, Guatemala, El Salvador, Honduras e Jamaica. A Colômbia foi a primeira receber os lotes no início deste mês. Nas Américas, 36 países estão participando da iniciativa. 

ONU: Américas devem receber 728 mil doses de vacina à Covid-19 via Covax
Seringas para inoculação das vacinas à Covid-19 no Nepal, em março de 2021 (Foto: Unicef/Preena Shrestha)

Controle do vírus 

A chefe da Opas lembra da limitação das doses e da possibilidade de levarem vários meses até que as vacinas possam controlar o vírus. Segundo ela, o objetivo é salvar o maior número de vidas possível. A prioridade das doses deve ser para aqueles que estão em maior risco de infecção, como os profissionais de saúde, idosos e pacientes com comorbidades.

No Caribe, 15 países aguardam a chegada de 2,1 milhões de doses da parceria Covax até maio. A vacina da Johnson & Johnson foi autorizada pela OMS e promete acelerar os esforços de imunização, já que confere proteção em dose única.

A Covax garantiu mais de 100 milhões de doses para 2021 e cerca de 500 milhões até 2022. Etienne advertiu que as pessoas vacinadas devem manter medidas de saúde pública. Mesmo com a chegada das remessas da vacina, a Covid-19 continua se espalhando em cerca de metade dos países das Américas.