ONU: Tragédia de Covid-19 na Índia não tem que se repetir na África, diz diretora regional da OMS

Países africanos devem estar em alerta máximo para contornar atraso na entrega e vacinação, alertou o órgão
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

Este conteúdo foi publicado originalmente no portal ONU News, da Organização das Nações Unidas

A imunização contra a Covid-19 na África está sendo ameaçada pela lentidão na entrega de insumos e doses do Instituto Serum, da Índia. O alerta partiu do Escritório Regional da OMS (Organização Mundial da Saúde). 

As entregas iniciais da vacina do mecanismo Covax, liderado pela ONU, a 41 países na África estão prejudicadas desde o início de março. Nove países administraram menos de 25% das doses recebidas e 15 nações do continente receberam menos da metade dos lotes. 

A diretora-regional da OMS, Matshidiso Moeti, afirma que é preciso vacinar todas as pessoas com as doses disponíveis. Para ela, trata-se de uma corrida contra o tempo e contra o vírus. E a tragédia da Índia não pode se repetir na África.

ONU: Tragédia de Covid-19 na Índia não tem que se repetir na África, diz diretora regional da OMS
Agente de saúde avalia mulher em Toro, na Nigéria, em outubro de 2020 (Foto: Unicef/Andrew Esiebo)

Desde o agravamento da pandemia na Índia, o país passou a retardar a entrega de vacinas de empresas indianas. Com isso, os africanos que recebiam os lotes do país asiático estão sob maior risco de serem contaminados com a Covid-19 e as variantes da infecção que permanecem se espalhando.

As novas variantes colocam a África sob risco de uma terceira onda de contaminação. A cepa B.1.617, detectada na Índia, foi notificada pelo menos em um país africano. Já a variante B1.351 da África do Sul se espalhou a pelo menos 23 nações do continente, enquanto a cepa B1.1.7, do Reino Unido, já foi encontrada em 20 países africanos.

Estado de alerta

A OMS regional afirma que a tragédia da Índia deve colocar todos na África em máximo de alerta máximo. Em alguns países africanos, a campanha de imunização tem funcionado bem, mas apenas 19 milhões de doses foram administradas até o momento de um total de 37 milhões recebidas.

A cobertura da vacinação na África é a mais baixa em todo o mundo. A média global é de 150 doses por 1 mil habitantes. Na África Subsaariana, esta relação é de 8 doses por mil. A baixa cobertura pode levar à África a se tornar o epicentro da contaminação, segundo alguns analistas.

A África do Sul e a Índia estão liderando esforços para suspender a proteção de patentes da vacina contra a Covid. O tema tem reforço na OMC (Organização Mundial do Comércio) após o anúncio do governo dos Estados Unidos de que apoiaria a medida.

Divisor de águas

Moeti diz que a quebra de patentes pode ser um divisor de águas na África levando a milhões de doses que podem salvar as pessoas. Ela lembra que ninguém estará seguro até que todos estejam seguros.

Até o momento, há registro de 4,6 milhões de casos de Covid-19 na África e 123 mil mortes. Embora exista uma tendência de redução de casos nos últimos 15 dias, países como Angola, Cabo Verde, Camarões e Eritreia notificaram um aumento das infecções.

Tags: