Pedidos de asilo no México continuam mesmo com pandemia

O país registrou 33% mais requerimentos no 1º trimestre de 2020 em relação ao mesmo período do ano passado
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O México continua registrando pedidos de asilo de pessoas fugindo da violência de suas regiões de origem, apesar da pandemia do novo coronavírus ter restringido a movimentação nas fronteiras do país.

As restrições levaram a uma queda de 90% na média dos pedidos semanais de asilo feito ao governo mexicano em abril. Mesmo assim, centenas de pessoas continuam realizando as solicitações durante este período.

Nos primeiros três meses deste ano, o número de pedidos aumentou 33% na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com dados divulgados pela ONU nesta terça (28).

Os cerca de 17,8 mil pedidos de asilos feitos neste ano são, principalmente, de cidadãos de Honduras, Haiti, Cuba, El Salvador e Venezuela.

Pedidos de asilo no México continuam apesar da pandemia
Família pede asilo na cidade de Tapachula, no México (Foto: Gabo Morales/UNHCR)

Apesar dos prazos legais para o processamento dos requerimentos estarem suspensos pelas autoridades mexicanas, o Acnur (Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados) vem auxiliando em processos remotos, numa parceria com a Comissão Mexicana de Ajuda a Refugiados, do governo do México.

Também foram liberados imigrantes e requerentes de asilo detidos no México. Cerca de 400 pessoas em centros de detenção foram liberadas desde o dia 16 de março, de acordo com o Acnur. Os migrantes são em geral transferidos para abrigos administrados por religiosos ou por organizações civis.

Desde o último mês, mais de 3,3 mil requerentes de asilo que chegaram recentemente ao México receberam ajuda humanitária.

Tags: