Sem recursos, agência de refugiados palestinos da ONU pode fechar as portas

Dependente de doações e Estados-membros da ONU, agência precisa de US$ 30 milhões para terminar o ano
Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin
Share on email

O agravamento das contaminações por Covid-19 coloca a UNRWA (Agência das Nações Unidas para Refugiados Palestinos) à beira da falência. Sem financiamento adicional, a entidade não conseguirá manter as atividades depois de dezembro.

Nesta terça (10), a porta-voz Tamara Alrifai afirmou que a falta de recursos deve afetar o pagamento dos 28 mil funcionários na linha de frente do combate à pandemia. Mais de 5,7 milhões de refugiados palestinos em todo o Oriente Médio demandam os serviços.

A situação preocupa: em julho, apenas 200 casos de transmissão do vírus foram confirmados entre os refugiados. Entre os dias 2 e 7 de novembro, porém, o volume de infectados já era de cerca de 17 mil.

Sem recursos, agência da ONU para refugiados palestinos pode fechar as portas
Funcionário da UNRWA no centro de sáude de Ma’an, na Jordânia, em abril de 2020 (Foto: UNRWA Photo)

Com um orçamento mensal de US$ 50 milhões, a agência demanda US$ 30 milhões até o final de novembro para pagar seus funcionários.

A UNRWA opera em Gaza e Cisjordânia, Líbano, Jordânia e Síria. A grande maioria das contribuições vêm de Estados-membros da ONU (Organização das Nações Unidas).

Além de conceder refúgio à população palestina, a UNRWA também trabalha pela estabilização das regiões de conflito através de centros de saúde e escolas para mais de 500 mil crianças.

Mesmo com o apoio político recorde na Assembleia Geral da ONU, a agência não recebeu doações suficientes em 2020. “No centro da nossa crise está um descompasso entre o apoio político que recebemos dos Estados-membros e as contribuições financeiras externas”, afirmou Alrifai.

Tags: